4 igrejas são destruídas em incêndios ‘suspeitos’

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Quatro igrejas localizadas em território indígena foram destruídas por incêndios que as autoridades estão chamando de natureza “suspeita”, visto que investigações vêm sendo conduzidas sobre a atividade religiosa nessas áreas.

O caso, registrado no Canadá, envolve a descoberta de centenas de túmulos não identificados de crianças indígenas em propriedades onde foram construídos templos da Igreja Católica.

Duas delas, a Igreja de St. Ann e a Igreja Chopaka, ambas localizadas na província de Colúmbia Britânica, foram queimadas nos incêndios até não sobrar nada, no último sábado, 26 de junho.

Os incidentes aconteceram com menos de uma hora entre eles e o chefe Keith Crow, líder indígena de Lower Similkameen, disse à mídia que ambas as igrejas foram destruídas por incêndios por volta das 4 da manhã.

O chefe disse que os incêndios são suspeitos e “possivelmente” relacionados aos incêndios que destruíram a Igreja do Sagrado Coração e a Igreja de São Gregório em South Okanagan na Colúmbia Britânica na segunda-feira da outra semana, durante a celebração canadense do Dia Nacional do Povo Indígena.

“Estou com raiva. Não vejo nada de positivo nisso e vai ser difícil”, afirmou Keith Crow, acrescentando que a destruição dos templos foi “de partir o coração”, pois os membros de sua tribo pertenciam às igrejas.

“Felizmente, ninguém ficou ferido e o fogo aqui foi contido antes de se espalhar para qualquer uma das casas vizinhas. Se você estiver sofrendo neste momento, por favor, procure alguém e faça a ligação. Tem muita gente chateada”, pediu Crow.

Investigações

O sargento Jason Bayda da Polícia Montada Real Canadense, disse no sábado que as investigações sobre os incêndios estão em andamento, e confirmou que os incêndios são suspeitos, mas nenhuma prisão ou acusação foi feita até agora.

Em maio, os restos mortais de 215 crianças foram encontrados enterrados sob uma área onde ficava a escola Kamloops Indian Residential, na Colúmbia Britânica, que fechou em 1978.

A escola residencial, afiliada à Igreja Católica, fazia parte de um sistema nacional supervisionado por autoridades governamentais e religiosas que buscavam assimilar as comunidades indígenas do Canadá.

No final da semana, outras 751 sepulturas não marcadas foram localizadas perto da antiga Escola Residencial Indiana Marieval em Saskatchewan, que estava sob administração da Igreja Católica.

As descobertas levaram o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, a pedir ao papa Francisco para visitar o país e oferecer um pedido oficial de desculpas pelas perturbadoras descobertas.

“Eu falei diretamente com Sua Santidade o papa Francisco para pressioná-lo sobre a importância não apenas de que ele faça um pedido de desculpas, mas que ele faça um pedido de desculpas aos canadenses indígenas em solo canadense”, declarou o primeiro-ministro, um progressista.

“Eu sei que a liderança da Igreja Católica está procurando e muito ativamente engajada nos próximos passos que podem ser dados”, acrescentou o político.

A Conferência Canadense de Bispos Católicos (CCBC) emitiu um pedido formal de desculpas e se comprometeu a “caminhar lado a lado com os povos indígenas no presente, buscando uma maior cura e reconciliação para o futuro”, segundo informações do portal The Christian Post.

“A notícia da recente descoberta é chocante. Isso reacende o trauma em várias comunidades por toda esta terra. Honrar a dignidade dos pequeninos perdidos exige que a verdade seja revelada. Oramos ao Senhor pelas crianças que perderam suas vidas e prometemos nosso acompanhamento próximo às famílias e comunidades indígenas”, acrescentou a CCBC.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS