A ceia do Senhor – Site do Pastor

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin


A CEIA DO SENHOR


“Quando chegou a hora, Jesus sentou-se à mesa com os apóstolos e lhes disse: — Como tenho desejado comer este jantar da Páscoa com vocês, antes do meu sofrimento! Então Jesus pegou o cálice de vinho, deu graças a Deus e disse: — Peguem isto e repartam entre vocês. Pois afirmo a vocês que eu nunca mais beberei deste vinho até que chegue o Reino de Deus. Depois pegou o pão e deu graças a Deus. Em seguida partiu o pão e o deu aos apóstolos, dizendo: — Isto é o meu corpo que é entregue em favor de vocês. Façam isto em memória de mim” – Lucas 22.14-19 (BLH).

A CEIA DO SENHOR é o título desta mensagem escrita para nos ajudar no aprofundamento de alguns PRINCÍPIOS essenciais deste assunto tão importante:

  • A Ceia é do Senhor.
  • O pão e o cálice são para todos.
  • Ceia é um memorial.

1º Princípio: A CEIA É DO SENHOR

A Ceia é do Senhor, isto é, Jesus é o dono da Ceia! A Ceia do Senhor não é propriedade de nenhuma igreja ou grupo religioso. Jesus convida quem Ele quiser convidar, pessoas ruins ou péssimas (ninguém é bom – Lc 18.19). Lembre-se que até Judas participou da Ceia do Senhor.

Somente a pessoa tem condições de julgar se deve ou não participar da Ceia:

“Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.” (1 Coríntios 11:27-29)

Se, nalgum dia de ceia, você for à uma igreja que impeça a sua participação por que você não é membro daquele grupo, vá embora e agradeça a Deus, pois aquela ceia que lhe foi negada não era a Ceia do Senhor, mas, sim, uma propriedade particular.

Não é o que você queria, pois o desejo do seu coração era participar da Ceia do Senhor. 


2º Princípio: O PÃO E O CÁLICE SÃO PARA TODOS

Aquele negócio do povo comer só o pão (ou hóstia) e o sacerdote tomar o cálice sozinho não tem amparo nas Escrituras. Não foi este o exemplo de Jesus nem o ensino dos apóstolos.

O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e a bebida mais comum para muitos povos (algo assim como o arroz e o feijão no Brasil). Cristo, ao instituir a Ceia, se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar a sua presença constante em nosso dia a dia.

Nas Escrituras Sagradas, o pão simboliza, principalmente, as necessidades básicas da vida humana; é o sustento da vida. Já o vinho simboliza a alegria e a satisfação, que torna a vida mais que mera existência.

Jesus é o nosso pão (vida) e o nosso vinho (alegria): “Jesus respondeu: — Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede” – João 6.35. “O nascimento dele vai trazer alegria e felicidade para você e para muita gente” – Lucas 1.14.

EVANGELHO SÓ DE PÃO É EVANGELHO SEM ALEGRIA.
EVANGELHO SÓ DE VINHO, É EVANGELHO SEM VIDA, SUBSTÂNCIA.
PRECISAMOS DO PÃO (VIDA) E DO CÁLICE (ALEGRIA)


3º Princípio: A CEIA É UM MEMORIAL (“Fazei isso em memória de mim” – vs. 19)
Pão e Cálice são memórias: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. (1 Coríntios 11:23-25)
Ninguém come e bebe memória (literalmente). Comida é para comer. Memórias são para lembrar. O pão da ceia não vira carne, nem o vinho se transforma em sangue. Se isso acontecesse, não seriam memórias, seriam comida e bebida.
Memoriais são cerimônias realizadas para nos lembrar de datas e eventos importantes.

Um memorial não é um o evento em si, mas uma forma de lembrar dele, por exemplo, Bodas de Ouro não é um novo casamento,  mas a comemoração de 50 anos de união do casal.

A Ceia do Senhor não é a carne e o sangue de Jesus, mas uma cerimônia para nos lembrar do seu sacrifício em nosso favor.

Datas importantes nos lembram do passado e nos impulsionam para o futuro. Por exemplo, um casal que comemora 30 anos de união já pensa em comemorar 35.

De igual modo, a Ceia do Senhor nos lembra do sacrifício de Jesus e nos impulsa para o futuro, especificamente para a sua segunda vinda: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha“. (1 Coríntios 11:26)

Memorial é um evento que tem por objetivo nos trazer algo de volta à memória. Ao participarmos da Ceia do Senhor, trazemos à memória duas coisas:
a) A morte do Filho de Deus numa cruz, em nosso lugar.
b) A volta de Jesus, quando nos encontraremos com Ele em glória.


CONCLUSÃO

A Ceia é do Senhor, todos os que estão presentes podem comer o pão e beber o cálice, em memória da sua morte e ressurreição. E nós faremos isso até a Sua volta.

 

Título: A Ceia do Senhor
Autor: Pr Ronaldo Franco
Data: 2015

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos demais esboços: Esboços

Por outro lado; Assim como; Em contrapartida; Igualmente; Ao contrário; Agora; Apenas; Constantemente; Depois que; Desde que; Enquanto; Em seguida; Ainda mais; Do mesmo modo; Bem como; Contudo; Juntamente com; Apesar disso;

Fonte: Site do Pastor

ÚLTIMOS POSTS