A unção que ressuscitou Jesus

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

por Simon Potter (Campina Grande-PB)
*Missionário da Agência de Missões Verbo da Vida

Hoje, nós podemos celebrar a vitória do Senhor, e Sua vitória é a nossa vitória. Podemos celebrar isso, independente das circunstâncias.

“Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles” (Hebreus 1.4).

Nessa passagem bíblica, o autor demonstra, claramente, que Jesus tem uma posição acima do inimigo. O autor cita aqui os salmos messiânicos, falando sobre o novo nascimento de Jesus. São palavras carregadas de poder para ressuscitar Jesus dentre os mortos. Ele ressuscitou como primogênito, no terceiro dia. Vamos celebrar essa vitória, pois o inimigo não tem poder suficiente para vencer nosso Senhor e, assim como diz o louvor, podemos sair por aí dizendo que está tudo bem!

Jesus apareceu no meio dos discípulos, sem abrir  a porta, com seu novo corpo ungido.

Jesus mostrou a realidade do Messias ressurreto. 

Graças a Deus pela influência dos anjos. Aqui no Brasil, existe um povo com um clamor e os anjos estão a nosso favor. É perceptível o mover dos anjos, além do mover do Espírito. Os tempos vão ficar mais perigosos para a Igreja, mas os anjos se manifestarão, como está escrito em Hebreus 1.7: “E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, e de seus ministros labareda de fogo”.

“Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino. Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros” (Hebreus 1.8-9).

Essa passagem não fala apenas do Messias, citando os salmos, mas da Noiva de Cristo. Podemos entender o poder do Espírito, quando ressuscitou Jesus da morte, através de uma unção nova. Ele passou três dias morto sem essa unção. Mas, como Ele foi vivificado? Através de uma unção fresca. E como podemos descrevê-la? Como um óleo de alegria. Essa alegria é a nossa força, que penetra e vivifica, como uma injeção de poder; uma força para vencer a morte e dominar todo o ambiente de trevas. Nada poderia segurar Jesus neste momento!

“Louvarei ao Senhor que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite. Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente” (Salmos 16.7-11).

A tumba está vazia. Podemos celebrar esse momento!

Jesus vencedor, conquistador, derrotando os inimigos e todas as forças opostas. Ele fez isso tudo por nós, a Igreja. No versículo 11, fala sobre a presença e a entrada do Espírito para vivificar Jesus. A plenitude da alegria chegou, fazendo viver o interior e a alma de Jesus, quebrando todas as cadeiras, vencendo todos os planos e estratégias do diabo. Ele ressuscitou! 

Não deveria existir uma vida cristã sem essa alegria. 

Nos primeiros anos da minha vida cristã, eu passei por uma forte depressão e pensamentos suicidas faziam parte da minha mente. Eu sempre me perguntava: onde está essa alegria cristã? Sem saber que a alegria já estava dentro de mim, desde o meu Novo Nascimento. Graças a Deus pelos ensinamentos do irmão Kenneth Hagin, pois eu entendi que tenho alegria, preciso apenas colocar as vestes dela.

“Cinge a tua espada à coxa, ó valente, com a tua glória e a tua majestade. E neste teu esplendor cavalga prosperamente, por causa da verdade, da mansidão e da justiça; e a tua destra te ensinará coisas terríveis. As tuas flechas são agudas no coração dos inimigos do rei, e por elas os povos caíram debaixo de ti. O teu trono, ó Deus, é eterno e perpétuo; o cetro do teu reino é um cetro de eqüidade. Tu amas a justiça e odeias a impiedade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros. Todas as tuas vestes cheiram a mirra e aloés e cássia, desde os palácios de marfim de onde te alegram”(Salmos 45.3-8).

Temos acesso a uma nova unção, ao poço de vida e alegria. Esse óleo de alegria vem da oliveira, uma árvore frondosa que produz azeite. Nessa árvore, nunca faltará azeite, o óleo de alergia. Ele pertence a nós. Vamos desfrutar! 

Esse óleo não fica apenas dentro de nós, mas vamos transbordá-lo. Ele disponibilizou isso para a Noiva. Somos ungidos.

Podemos desfrutar dessa alegria todos os dias de nossa vida!

 

*Texto retirado do site da Igreja Verbo da Vida sede em Campina Grande (PB)

Fonte:Verbo da Vida

ÚLTIMOS POSTS