advogado de acusação quer que Flordelis continue usando

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Enquanto Flordelis (PSD-RJ) não é julgada pelos crimes dos quais é acusada, a representação da família da vítima, pastor Anderson do Carmo, quer que a Justiça mantenha a obrigação de uso de tornozeleira eletrônica pela deputada federal.

O advogado Angelo Máximo, que representa o pai de Anderson do Carmo, pediu à juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, que rejeite o pedido de retirada da tornozeleira eletrônica feito pela defesa de Flordelis.

Os representantes da parlamentar fizeram o pedido de remoção do aparelho na última semana, alegando que problemas recorrentes de ordem técnica com a tornozeleira a obrigam a se deslocar com frequência à central da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) do Rio em meio à pandemia da Covid-19 , o que vem trazendo riscos à sua saúde.

Entretanto, Angelo Máximo entende que o monitoramento ao qual Flordelis está sendo submetida foi imposto não apenas por ameaças a uma testemunha, mas também pela dificuldade encontrada pela Justiça do Rio e Câmara dos Deputados para intimá-la ao longo de 2020.

De acordo com informações do portal Último Segundo, Máximo também alega que a deputada já recorreu dessa medida no Tribunal de Justiça do Rio, Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal, tendo todas as apelações recusadas, e por isso não caberia novo pedido de remoção da tornozeleira em 1ª instância.

Angelo Máximo pede à juíza Nearis, que seja mantida a decisão de outubro do ano passado que determinou o uso do aparelho de monitoramento.

O advogado atua como assistente de acusação no processo criminal no qual Flordelis é ré por ser mandante da morte do marido, representando o pai do pastor, único familiar de primeiro grau ainda vivo, além de seu filho biológico. Mãe e irmã de Anderson do Carmo faleceram por problemas de saúde durante as investigações do crime.

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce – que vem sendo contestada pela defesa de Flordelis, que pediu seu afastamento do processo – aguarda a manifestação do Ministério Público sobre o pedido da parlamentar para tomar uma decisão.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS