Afeganistão é escolhido como o pior país para os cristãos

Cristãos no Afeganistão

Após a retirada dos EUA e o retorno do Talibã ao poder, o Afeganistão foi escolhido como o pior país em termos de perseguição cristã, por um grupo de defesa da liberdade religiosa.

A International Christian Concern (ICC) disse que a retirada caótica dos EUA do Afeganistão “colocou uma sentença de morte para os cristãos”.

Sob o Talibã, espancamentos, sequestros, torturas e assassinatos de cristãos e outras minorias “aumentaram dramaticamente”.

“Dentro da versão fundamentalista do Islã do Talibã, os cristãos afegãos – muitos dos quais são ex-muçulmanos – são rotulados como apóstatas que merecem a morte”, disse o ICC.

“Até o final de 2021, o Talibã empregou táticas duras para expor os cristãos do país e implementar sua justiça islâmica. Isso levou a perseguição no Afeganistão a seus níveis mais altos desde o primeiro governo do Talibã em 1996.”

O prêmio para a pior entidade perseguidora foi dado aos militantes Fulani, uma facção radicalizada do grupo Fulani mais amplo – o maior grupo étnico nômade da Nigéria.

A ICC disse que eles foram responsáveis ​​por matar dezenas de milhares de cristãos desde 2000 e que se suspeita que eles estejam sendo “auxiliados por partes interessadas dentro do governo nigeriano”.

“A Nigéria é sem dúvida um dos lugares mais perigosos do planeta para os cristãos por causa da abundância de extremistas violentos, incluindo grupos de militantes Fulani”, afirmou.

“Esta facção de um grupo nômade mais amplo, por meio de sua exposição às ideologias fundamentalistas islâmicas, aterrorizou as comunidades cristãs da Nigéria.

“As milícias islâmicas Fulani radicalizadas e armadas mataram dezenas de milhares de cristãos e deixaram inúmeros desabrigados em um genocídio de 20 anos.

“O governo nigeriano afirma estar combatendo esse extremismo, mas é principalmente da boca para fora à medida que o conflito fica fora de controle. Muitos apontam a inação do governo como uma das razões para o aumento da violência dos militantes Fulani contra a população cristã da Nigéria no Cinturão Médio.

O prêmio individual foi para o aiatolá Ali Khamenei, o Grande Aiatolá e Líder Supremo do Irã, porque ele “permite a tortura e execução de muitos cristãos iranianos”.

“Aqueles encontrados tentando compartilhar sua fé ou adoração em uma igreja doméstica são frequentemente presos e enviados para a notória prisão de Evin, conhecida por sua brutalidade e tortura de prisioneiros”, disse o ICC.

“O Grande Aiatolá no comando do Irã dirige a perseguição controlando todos os aspectos da vida iraniana e causando graves consequências àqueles que não se conformam com suas rígidas ideologias conservadoras.”

Jeff King, presidente da ICC, disse: “Em todo o mundo, os cristãos são espancados, presos, torturados e assassinados simplesmente por causa do que acreditam. Faço isso há 20 anos e não está melhorando, mas piorando.

“A liberdade religiosa costuma ser um assunto muito complicado. Este relatório anual é uma cartilha para que nossos aliados o entendam e vejam.”

Folha Gospel com informações de The Christian Today

SIGA O FOLHAGOSPEL NO INSTAGRAM: @FOLHAGOSPEL



Folha Gospel

ÚLTIMOS POSTS