As torrentes no Neguebe – Pregações e Estudos Bíblicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Tema: ESPERANÇA


 Salmos 126.4 “Restaura, Senhor,
a nossa sorte, como as torrentes no Neguebe.”

Introdução: Neguebe ou Negev (נֶ֫גֶב) significa lugar seco ou ressecado, mas também
é traduzido como ‘sul’ para designar sua posição geográfica.1 O Neguebe
fica ao sul de Judá até a península do Sinai, abrangendo 60% do território de
Israel, cerca de 17 mil quilômetros.
2 Formado de uma região semidesértica, com terreno
irregular de baixa altitude e por isso recebe muito poucas chuvas, em torno de
20 a 200 milímetros ao ano e com fortes ventos. Lençóis subterrâneos permitem a
existência de algumas fontes de água temporárias e oásis no meio do deserto,
bem como a sobrevivência de animais adaptados ao clima da região.
3

Devido a poucas fontes de
água, os Beduínos, habitantes do deserto geralmente são nômades, mudando de
acordo com os recursos disponíveis. Mesmo assim, sempre foi uma região
importante comércio devido ao trânsito para o Egito.
4 Abraão esteve
na região do Neguebe muitas vezes (
Gênesis 12 e
13
), chegando a habitar nessa terra (Gênesis 20.1; 21.33; 24.62) e durante toda a história bíblia foi lugar de muitos
acontecimentos, destacando as cidades de Hebrom, Cades, Berseba e Ziclague.

Vamos
aprender sobre o significado desta palavra:

 

1- Fenômeno Extraordinário

Existem rios sazonais na região do Neguebe chamados
‘uadis’, ribeiros que secam no verão e voltam a jorrar com as chuvas de inverno
deixando sua marca no solo com grandes valas. O terreno arenoso e seco, quase
petrificado pelo intenso calor, não absorve a água quando chove e por isso
acontecem as enxurradas no meio do deserto.5 Existem lugares que têm
placas de sinalização avisando sobre risco de inundação. 6

As chuvas raras são imprevisíveis, mas trazem um efeito de
renovo para o deserto. Anualmente acontece no Neguebe o Festival Sul Vermelho
“Darom Adom”, para celebrar a beleza das anêmonas, flores vermelhas que cobrem
campos áridos do Neguebe, transformando literalmente o deserto em um jardim. 7

As
torrentes no Neguebe são fenômenos extraordinários!

2- Símbolo Profético

A canção do Salmo 126,
provavelmente foi composta em gratidão a Deus pelo decreto do rei Ciro (
II Crônicas 36.22,23) autorizando o povo de Israel voltar para sua terra natal
e reconstruir o templo de Jerusalém (
Esdras 1.1-8).8 A palavra restauração é chave neste
salmo e o tema da semeadura abrange o desafio de reconstruir.

Quando os cativos
receberam a notícia de que poderia retornar, parecia um sonho e diante das
dificuldades que sabiam que iriam enfrentar, esta eram uma mensagem de
esperança para os remanescentes que ficaram na terra. Por isso o
Salmo 126 se tornou um
cântico de romagem, para cantar nas peregrinações a Jerusalém. O povo queria
voltar como uma enxurrada que molha a terra seca e traz o aroma da esperança.
9

Com a restauração de Israel como nação em 1948, milhares de
judeus começaram a cultivar suas terras novamente. Hoje em toda a região de
Israel existem oásis espetaculares como um milagre Divino na natureza. Além
disso, existem colônias de agricultores chamados ‘kibutz’ que cultivam
as terras usando modernas tecnologias de dessalinização da água e irrigação,
que promovem uma transformação radical na paisagem com imensas plantações, que
exportam frutos para o mundo todo. 10

As torrentes no Neguebe são um símbolo profético!

3- Restauração Espiritual

O Fenômeno Extraordinário e Símbolo Profético que acontece
no Neguebe nos ensina sobre nossas vidas. Muitas vezes estamos ressecados e
solitários como um deserto, mas para quem confia no Senhor “o qual passando por um vale árido, faz dele um
manancial, de bênçãos o cobre a primeira chuva”
(Salmos 84.6).
Existem promessas na Palavra de Deus para restauração comparando com o deserto (Isaías 41,18).

Mesmo quem vivem no meio de muitas pessoas pode se sentir como
em meio a um deserto até se encontrar com Jesus que se torna nossa companhia
constante e coloca pessoas abençoadas em nosso caminho (Mateus 28.20).

Deus
pode transformar o seu deserto!

O
Neguebe simboliza restauração!

CONCLUSÃO

“O deserto florescerá como a rosa…” Isaías 35.1

Assim como o Neguebe é um milagre de Deus na natureza 11 que serve como exemplo do que Deus faz conosco,
deste modo acontece com todos os que acreditam em Jesus que prometeu: “quem crê em mim,
como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de 
água viva”
(João 7.38).

Se sua vida está como um deserto, busque a restauração do
Senhor que pode mudar todas as coisas. Não continue na sequidão de uma vida sem
Deus. Receba a restauração do Senhor em sua vida.

Deus quer te restaurar!

______________________________

Citações
Bíblicas
:
Bíblia Revista e Atualizada,
Sociedade Bíblica do Brasil.

1 STRONG, James.
Dicionário Grego do Novo Testamento. Bíblia
de Estudo Palavras-Chave:
 Hebraico. Grego. Tradução de
João Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD,
2011. Verbete 5045, página 1785.

2 SCHWANTES,
Milton. Neguebe. Disponível em:
http://portal.metodista.br/arqueologia/artigos/2012/israel-neguebe

3
HARRIS, R. Laird, organizador. Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. São Paulo:
Vida Nova, 1998. Verbete 1288, páginas 912 e 913.

4
CHAMPLIN, R. N. Ph. D. O Antigo
Testamento interpretado versículo por versículo
. São Paulo:
Hagnos, 2014. Volume 7, páginas 4864 e 4865.

5 Bíblia
de Estudo Arqueológica NVI. São Paulo: Editora Vida, 2013. Página 935.

6
Placas com aviso de inundação: Negev Desert – National
Geographic Society, disponível em: https://www.nationalgeographic.org/photo/desert-negev/

7
Anêmonas coronárias, flores vermelhas no deserto do
Neguebe. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Anemone_coronaria.
Imagem: https://en.wikipedia.org/wiki/File:Red_Anemone_coronaria_at_Nahal_Habsor_Park,_Northwestern_Negev,_Israel.jpg

8
MACDONALD, William. Comentário
Bíblico Popular
– Antigo e Novo Testamento. São Paulo: Mundo Cristão, 2011.
Página 509.

09
CHAMPLIN, R. N. Ph. D. O Antigo
Testamento interpretado versículo por versículo
. São Paulo:
Hagnos, 2014. Volume 4, páginas 2468 e 2469.

10
KIBUTZ – Wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Kibbutz

11 GUEDES, Maria Helena. Oásis do Deserto. Página
33. Disponível em:
https://books.google.com.br/books?id=sRByDwAAQBAJ&lpg=PA33&dq=%22deserto%20de%20negev%22&hl=pt-BR&pg=PA33#v=onepage&q=%22deserto%20de%20negev%22&f=false

 



Fonte: Esboçosermão

ÚLTIMOS POSTS