Ativistas LGBT hostilizam pastor durante celebração de batismo nas águas

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um pastor que vem sendo hostilizado por ativistas LGBT há anos por se dedicar a anunciar a visão bíblica a respeito da homossexualidade, foi alvo de protestos de uma multidão enquanto celebrava um batismo nas águas.

David Lynn é um pastor e evangelista que atua como pregador de rua e coleciona episódios em que é hostilizado por ativistas LGBT. O episódio mais recente, ocorrido em 31 de agosto, repercutiu de forma intensa neste começo de dezembro após veículos da imprensa canadense reportarem o fato.

Enquanto ele celebrava o batismo nas águas em uma praia de Vancouver, chamada enseada de False Creek, foi cercado por uma multidão furiosa que protestava contra sua presença na cidade. A Polícia precisou protege-lo para evitar que os protestos resultassem em agressão.

“Estou aqui hoje para batizar as pessoas que aceitam minha mensagem”, disse Lynn ao portal Global News. “Não estou aqui para falar com a comunidade gay, não tenho como alvo a comunidade gay”, acrescentou o pastor.

Intolerância LGBT

Nas redes sociais, o pastor desabafou a respeito do episódio, afirmando que a postura de parte da militância LGBT é agressiva: “A comunidade LGBT no geral (não todos os membros) se mostrou violenta, abusiva, odiosa e muito intolerante e tenho um monte de evidências em vídeo para provar”, declarou o pastor David Lynn em 9 de setembro.

“Eles podem dizer o que quiserem sobre a Bíblia e o cristianismo e sair impunes, mas se você falar suas crenças ou opinião sobre o comportamento e as crenças deles, eles não conseguem lidar com isso. Quanto mais poder eles têm, mais violentos eles se tornam com os cristãos e eles tentam aprovar leis para intimidar e criminalizar o cristianismo”, disse o pastor, resumindo o modus operandi que é repetido em todos os países.

O pastor também afirmou que tem sido difícil exercer seu ministério diante da omissão das autoridades: “Está bem documentado. Não recebi ameaças de morte e agressão de nenhum outro grupo em meus mais de 20 anos de ministério do que da comunidade LGBT e, por algum motivo, a mídia e os prefeitos os apoiam”, denunciou.

Sobre o episódio específico de Vancouver, o prefeito da cidade se manifestou posteriormente para criticar a mensagem do pastor: “Acho isso simplesmente desprezível. Eu acho que vir de fora da cidade, espalhar ódio, machucar pessoas, simplesmente é inaceitável”, declarou Kennedy Stewart.



Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS