‘Brasil não faltará a Israel’, diz Bolsonaro ao agradecer Netanyahu

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A oposição a Benjamin Netanyahu conseguiu formar maioria por um voto para tira-lo do governo de Israel após 12 anos de mandato. Com a confirmação do novo gabinete do primeiro-ministro, o presidente Jair Bolsonaro agradeceu ao dirigente que deixa o cargo pela parceria com o Brasil e deu as boas vindas ao novo premiê.

“Agradeço a Netanyahu, meu grande amigo, pelo ótimo trabalho que pudemos desenvolver juntos no fortalecimento da parceria entre os nossos países e na promoção do bem-estar dos nossos povos. Tenho certeza que a sorte e o seu imenso talento não lhe faltarão nesta nova etapa”, escreveu o presidente em sua conta no Twitter.

Desde que Jair Bolsonaro assumiu como presidente da República, os laços entre Brasil e Israel se estreitaram, com o então primeiro-ministro Netanyahu visitando o país e estabelecendo uma parceria no âmbito militar, assim como oferecendo conhecimento em áreas específicas para o combate à seca no nordeste brasileiro.

“Também dou as boas-vindas ao novo governo israelense e desejo sucesso ao Premiê Naftali Bennett e ao Ministro das Relações Exteriores Yair Lapid, parabenizando-os pelo êxito nas eleições e na formação do governo. Estejam certos de que o Brasil não faltará a Israel e aos judeus”, acrescentou o mandatário.

Netanyahu

O político que comandou Israel nos últimos 12 anos perdeu o cargo por apenas um voto: 60 a 59, e já prometeu voltar ao poder em breve. O sistema parlamentarista permite a troca de governos de maneira ilimitada, causando assim uma instabilidade constante ao sistema político.

“Lutarei diariamente contra este terrível e perigoso governo de esquerda para derrubá-lo. Com a ajuda de Deus, vai acontecer muito mais cedo do que vocês pensam”, prometeu o ex-primeiro-ministro em um longo discurso no Parlamento israelense, o Knesset.

Netanyahu, 71 anos, apertou a mão de seu adversário após a votação, reconhecendo sua vitória, e deverá se dedicar à defesa de processos que sofre na Justiça israelense.

Naftali Bennett, 49 anos, é um judeu ortodoxo e milionário da indústria de alta tecnologia do espectro político da direita. Seu partido, Yamina, conquistou apenas 6 de 120 cadeiras no Knesset. Para chegar ao poder, ele firmou um acordo com o ex-apresentador de televisão Yair Lapid, 57 anos, considerado um político de centro.

No acordo, Bennett se comprometeu a ficar no cargo apenas até 2023, quando passará a função de primeiro-ministro a Lapid. De início, o novo primeiro-ministro reiterou um apelo de Netanyahu aos Estados Unidos, para que o pacto nuclear assinado em 2015 entre o Irã e as potências mundiais não seja retomado, uma vez que o ex-presidente Donald Trump havia revogado.

“A renovação do acordo nuclear com o Irã é um erro, que daria novamente legitimidade a um dos regimes mais sombrios e violentos do mundo. Israel não permitirá que o Irã seja equipado com armas nucleares”, declarou Bennett.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS