Canadá acusado de violar liberdade religiosa

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Membros da igreja do pastor Tim Stephens realizaram um culto ao ar livre em frente à prisão onde ele está sendo mantido. Enquanto isso, um senador dos Estados Unidos pediu que o Canadá seja investigado por violações da liberdade religiosa.

Os membros da Igreja Batista Fairview realizaram o culto como um protesto pacífico, e contaram com a presença de outros pastores, que endossaram o pedido de libertação de Tim Stephens, que foi preso por realizar um culto ao ar livre após as autoridades fecharem o templo sob alegação de combate à pandemia.

Enquanto isso, o senador Josh Haley (Partido Republicano), enviou carta aberta à Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA para que considerasse colocar o Canadá em sua lista especial de vigilância.

“Estou preocupado que nossos vizinhos canadenses estejam efetivamente sendo forçados a se reunir em locais secretos e não revelados para exercer sua liberdade básica de culto”, escreveu Hawley.

“Francamente, eu esperaria esse tipo de repressão religiosa na China comunista, não em uma nação ocidental proeminente como o Canadá”, acrescentou o senador Hawley, referindo-se em sua carta às prisões dos pastores James Coates e Tim Stephens em Alberta.

Coates passou um mês na prisão depois de violar uma condição de fiança para não realizar cultos, que segundo as autoridades, estariam ignorando as medidas contra a COVID-19 no que se refere a limites de capacidade, distanciamento físico e uso de máscara.

O pastor Coates, líder da Igreja GraceLife, foi libertado em 22 de março após se declarar culpado e foi multado em US$ 1.500. Ele argumentou que as regulamentações provinciais destinadas a conter a disseminação da pandemia infringiam seu direito constitucional e de seus membros à liberdade de religião e reunião pacífica.

Já o caso do pastor Stephens vem sendo cuidado pelo diretor de litígio Jay Cameron, do Centro de Justiça para Liberdades Constitucionais.

Cameron acusou a secretaria de saúde da província de Alberta de estar “envolvida em um ato intencional de engano público e abuso de autoridade ao prender o pastor Stephens e outros”.

De acordo com informações do portal Global News, a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA enumera três requisitos para declarar que um país oprime a liberdade religiosa: deve ser sistemática, contínua e flagrante. Quaisquer dois deles são suficientes para serem colocados na lista especial de observação, que conta com países como Afeganistão, Egito, Cuba e Turquia.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

Espaço Gospel foi criado com a intenção de reunir o melhor de todo material disponível na rede para ajudar você a se conectar com Deus!