‘Constituição e Bíblia não conflitam’

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Ciro Gomes (PDT-CE) reagiu às movimentações de Lula (PT) para tentar se reaproximar dos evangélicos e também fez um gesto demonstrando querer atrair o voto do segmento nas eleições 2022.

O ex-governador cearense usou sua conta no Twitter para dizer que “a Bíblia e a Constituição não são livros conflitantes” e que, por isso os “ideais centrais do cristianismo inspiram a vida de todos nós”.

“Somos um Estado laico, mas a Bíblia e a Constituição não são livros conflitantes. O mesmo acontece com a religião e a política. Se observamos bem, veremos que ideias centrais do cristianismo inspiram a vida de todos nós que lutamos por um Brasil melhor”, escreveu o pré-candidato a presidente em 2022.

Em outras ocasiões, Ciro Gomes comparou evangélicos a traficantes para dizer que considerava a mobilização política do segmento religioso que mais cresce no país uma “fraude eleitoral”. Em 2010, Ciro classificou como “calhordice” as objeções cristãs ao aborto.

Em março de 2018, antevendo a vitória do então deputado federal Jair Bolsonaro, o ex-governador afirmou: “Eu desconfio que serão as eleições mais fraudadas da história do país e vai ser muito facilitado por quem circula com grandes quantidades de dinheiro em espécie. Por exemplo, igrejas e narcotráfico, que estão praticamente se explicitando sobre a mesa, ou sob a mesa”, disse, comparando igrejas com o crime organizado do tráfico de drogas”.

No vídeo publicado nesta segunda-feira, 21 de junho, Ciro Gomes diz que o “princípio republicano” conceituado na forma do Estado laico “não nos deve levar à negação de uma realidade histórica com consequências sempre atuais, o Brasil se formou no berço do cristianismo”.

Em seguida, Ciro diz que a superação é um dos “aspectos da mensagem cristã que devem falar fundo no coração de qualquer brasileiro” e que isso deve ser a inspiração para “reconstruir o Brasil”, sem no entanto, referir que a destruição foi causada pelos governos de esquerda, dos quais ele foi aliado e ministro.

Pandemia

Em abril do ano passado, momento de maior incerteza sobre o funcionamento normal da sociedade, Ciro Gomes disparou toda sua verborragia contra pastores e padres que se opunham ao fechamento de templos e suspensão de cultos.

Esses camaradas precisam ser presos, que é o que nós vamos fazer aqui no Ceará. Aqui no Ceará, já inclusive com ordem do Ministério Público, quem fizer carreata fazendo esse tipo de exposição do povo à morte vai para a cadeia, como também pastores, padres ou seja quem for”, declarou na ocasião.

No mesmo contexto, atribuiu a Bolsonaro a prática de crimes contra a humanidade por propor medidas de distanciamento social e quarentena vertical, restrita a pessoas no grupo de risco, em substituição ao lockdown: “O mundo está chocado. […] Nós vamos ter que levar o Bolsonaro a responder pelo que está fazendo no Tribunal de Haia”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS