Cristãos oram pela prisão do “serial killer de Brasília” e por proteção de policiais em GO

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um grupo de cristãos do distrito de Girassol, em Coalzinho de Goiás, se reuniu para orar numa passarela sobre a BR-079, em favor da prisão de Lázaro Barbosa, suspeito da chacina em Ceilândia (DF), nesta quinta-feira (17). A ação também intercedeu pela proteção dos policiais envolvidos na operação de captura do criminoso e dos moradores da região.

O ato na passarela aconteceu a poucos metros da nova base de comando da força-tarefa, localizada numa escola municipal. 

O pastor Kleber Suasmicat explicou que cristãos de diversas denominações participaram do momento de oração. “Foi uma oração para que Deus possa trazer fim a essa situação, para proteger os policiais e a população”, disse Kleber.

O líder também relatou que a fuga de Lázaro e a operação dos policiais impactaram a rotina dos moradores da região. “É um momento de tensão. As atividades na igreja estão terminando mais cedo por questão de segurança, orientamos as pessoas a não abrirem a porta de casa sem saber quem é”, afirmou.

Força-tarefa de busca

A força-tarefa de busca de Lázaro com mais de 200 policiais de Goiás e do Distrito Federal, que entrou no 10° dia nesta sexta-feira (18), procura o suspeito, que está escondido em matas e rios, segundo a polícia.

Mais 100 homens da Força Nacional se juntarão nesta sexta (18) à operação, que reúne tropas de elite das polícias Civil (GT3), Militar (Bope e Rotam), Federal (COT) e Rodoviária Federal (PRF). A força-tarefa também conta com o apoio de helicópteros, cães farejadores e drones com visão térmica.

Durante a fuga, Lázaro já invadiu 11 propriedades rurais, fez quatro pessoas feitas reféns (todos resgatados) e trocou tiros quatro vezes, com policiais e um caseiro. O fugitivo percorreu cerca de 70 km a pé pelas matas do estado de Goiás, passando pelas cidades de Edelândia, Girassol e Cocalzinho de Goiás. 

Conforme o perfil de fuga traçado pela polícia, o “serial killer de Brasília”, tem o hábito de invadir casas rurais durante a noite para se alimentar e depois passar o dia escondido em matas e rios. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás, Lázaro é considerado “mateiro”, o que é uma pessoa experiente e conhecedora do mato, rios, grutas e esconderijos da região. A polícia afirmou que o fugitivo dorme em árvores e usa os rios para se camuflar.

Entenda o caso

Lázaro Barbosa, de 32 anos, é suspeito de matar uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e fugir para a região de Cocalzinho de Goiás. Segundo os investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal, uma das vítimas da chacina em Ceilândia, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, teria sido sacrificada em ritual satânico por Lázaro

As equipes de busca formadas pela coalização de forças de segurança encontraram mechas de cabelo cortadas e uma orelha arrancada num ritual às margens do córrego de uma mata, próxima ao local do crime.

De acordo com informações divulgadas pelas secretarias de Segurança Pública de Goiás, Bahia e DF, o homem tem uma longa ficha criminal. Ele é condenado por homicídio e por estupro, e suspeito de mais quatro assassiantos recentes, incluindo um ataque de golpes de machado a idosos. Lázaro já fugiu três vezes da prisão.

Depois de assinar a família em fazenda no Distrito Federal na quarta-feira (9), o criminoso, ainda no mesmo dia, invadiu outra fazenda em Ceilândia, rendendo o caseiro, o dono da propriedade e sua filha.

No sábado (12), Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás, onde invadiu fazendas, atirou em quatro pessoas e colocou fogo em uma casa durante fuga da polícia, que havia chegado ao local. No dia seguinte, ele furtou um carro e o abandonou na BR-070, fugindo para uma mata.



Guia me

ÚLTIMOS POSTS