Cruzada de Franklin Graham: entidade indenizará organização

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Uma instituição de caridade escocesa, que cancelou as reservas feitas por uma igreja local e pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA) para uma cruzada em seu centro de conferências, pediu desculpas por violar a Lei de Igualdade do Reino Unido como parte de um acordo legal.

A Robertson Trust se desculpou com a BGEA e a Igreja Livre de Stirling pelo cancelamento das reservas de 2019 para usar seu centro de conferências em Stirling, Escócia, para eventos religiosos e concordou em pagar a ambas as entidades um total de £ 20 mil (cerca de R$ 150 mil na cotação atual) para custear despesas legais.

Mark Batho, presidente do conselho de curadores da The Robertson Trust, disse em um comunicado que a organização havia “violado a Lei de Igualdade” vigente sem se dar conta.

“A política de financiamento de longa data do Trust afirma legitimamente que não financiamos ou apoiamos a promoção de nenhuma crença religiosa ou política em particular”, introduziu Batho.

“Reconhecemos que, ao aplicar nossa política de financiamento ao aluguel de nossas instalações, que estão disponíveis a taxas substancialmente subsidiadas para instituições de caridade e grupos comunitários, inadvertidamente violamos a Lei da Igualdade 201 0”, acrescentou.

Iain Macaskill, o líder da Igreja Livre de Stirling, organizadora do evento, disse em um comunicado compartilhado pelo Christian Institute, o grupo jurídico que representa as duas organizações, que é “contra a lei anunciar um local como disponível para todos, mas cancelar o contrato simplesmente porque a reserva é para um evento religioso”.

“Os cristãos têm os mesmos direitos legais que todas as outras pessoas e o resultado deste caso confirma isso”, complementou o pastor Macaskill.

Em uma declaração compartilhada pela BGEA, o pastor Franklin Graham disse que a resolução do caso “envia uma mensagem clara” de que “a liberdade religiosa não está morta”.

O Trust’s Barracks Conference Center estava entre vários locais no Reino Unido que cancelaram eventos programados para começar em maio de 2021 com pregações de Franklin Graham, que dirige o BGEA.

Esses locais citaram as pregações contrárias à homossexualidade de Franklin Graham como motivo, já que ativistas LGBT vinham fazendo pressões. Na ocasião, o pastor comentou a situação e lembrou que não pregaria contra pessoas, mas sim, anunciaria o Evangelho:

“Fiquei surpreso… Não vim falar contra ninguém e não cito nenhum grupo de pessoas. Estou vindo para dizer às pessoas como elas podem ter um relacionamento com Deus por meio da fé em Jesus Cristo”.

No mês passado, a BGEA anunciou que a cruzada pelo Reino Unido foi remarcada de 14 de maio a 16 de julho de 2022: “Mesmo em meio a essas circunstâncias sem precedentes, a BGEA permaneceu comprometida com o objetivo de proclamar as Boas Novas de Jesus Cristo. Estamos profundamente gratos pelas milhares de igrejas de várias denominações em todo o Reino Unido que estiveram ao nosso lado e continuaram orando pela turnê”, disse a entidade.

Segundo informações do portal The Christian Post, Graham arrematou: “Queremos que todas as pessoas saibam que Deus as ama e que a vida eterna está disponível para todos”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS