‘Deus é quem dirige minha vida’, declara a atleta Simone Biles

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A ginasta americana Simone Biles, de 24 anos, optou por desistir de duas competições olímpicas devido ao alto estresse. Enquanto Simone foi aplaudida por muitos pela decisão, outros a acusaram de ser “fraca” e “egoísta”.

A atleta já é a ginasta americana mais condecorada de todos os tempos, com um total de 30 medalhas olímpicas e mundiais, mas, apesar do imenso sucesso, as coisas não foram fáceis para ela.

Nascida em 1997 em Columbus, Ohio, Biles foi colocada em um orfanato quando sua mãe não pôde cuidar dela e de seus três irmãos. Em conversa com a CBN, Biles disse: “Minha mãe biológica estava sofrendo com drogas e álcool e então fomos levados para um orfanato, e ficamos um tempo em orfanato até que nossos avós decidiram nos acolher. Foi quando nossa vida mudou.”

Ao saber que seus netos estavam sob custódia, o avô de Simone a adotou aos três anos e ela foi criada por ele e sua esposa em um lar católico. Sua mãe adotiva, Nellie, acreditava que Deus a havia chamado para acolher a jovem: “Era para ser, sem sombra de dúvida, nada deveria ser diferente e é a melhor decisão que já tomamos”, ela disse.

Um talento dado por Deus

Conforme seu talento brilhava, Biles cada vez mais fez da ginástica e do treinamento uma característica em sua vida, deixando a escola regular em favor da educação em casa (homeshcooling), a fim de aumentar suas horas de treinamento de 20 para 32 horas por semana. Biles sempre falou abertamente sobre sua fé, descrevendo anteriormente que sua habilidade de ginástica é uma habilidade dada por Deus que ela acredita ter sido chamada para ser mordomo.

Presente de Deus

“Acho que Deus dá a cada indivíduo algo especial. Meu pai sempre me disse: não desperdice o presente de Deus que ele lhe deu. Porque é uma oportunidade única na vida. Um dia estarei muito velho para fazer ginástica. Por enquanto, tenho que usá-lo da melhor maneira possível”, disse a atleta olímpica.

Biles também usa sua plataforma para falar sobre sua fé e encorajar outras pessoas a serem abertas sobre suas próprias crenças. Falando ao Houston Chronicle em 2016, Biles disse: “As crianças de hoje falam sobre fé, e acho que não há problema em compartilhar minha fé para que as crianças possam ver como isso ajuda você em todo o processo”.

Em sua casa cheia de fé, a atleta sempre foi incentivada a orar e investir em seu relacionamento pessoal com Jesus. Sua mãe Nellie disse: “Sou uma pessoa que ora muito, por isso incentivo meus filhos a fazerem a mesma coisa também, a orar. Eu sei que não importa a situação em que você esteja, você apenas coloca nas mãos do Senhor e ele irá ajudá-lo.”

Em tempos bons e ruins

E não é apenas nos momentos de sucesso que Biles se volta para a oração, a atleta inspiradora também disse que ela supera o fracasso e as dificuldades com a ajuda de Deus.

Anteriormente, ela disse: “Eu não fiz a seleção nacional, então fiquei superchateada com isso. Mas eu sabia que era a maneira de Deus me dizer que eu precisava ir para casa, treinar mais forte, para que no próximo ano eu pudesse fazer isso acontecer, então acredito que alguns obstáculos que sempre tivemos nos ajudam a melhorar, porque Deus sabe que sem eles você não seria tão forte quanto é.”

A dor de não fazer parte da seleção nacional não foi nada comparada ao abuso que Biles sofreu nas mãos do pedófilo condenado, Larry Nassar, o ex-médico osteopata da equipe de ginástica feminina dos Estados Unidos. Seguindo o testemunho público de Rachel Denhollander, Biles foi uma das mais de 150 mulheres a se apresentar, embora de acordo com a Insider, ela seja a única sobrevivente a se manifestar enquanto ainda competia na ginástica. Em um movimento excepcionalmente corajoso, ela falou sobre seu abuso em 2018 e reafirmou suas intenções de continuar competindo, apesar da experiência.

No início deste ano, ela disse à Glamour: “Ainda estou aqui, então não vai desaparecer – temos poder por trás disso. Tento não pensar nisso porque não posso me dar ao luxo – se eu deixar que eles me governem, eles estão ganhando.”

Uma força espiritual

Embora Biles não tenha dito especificamente que sua recuperação dessa provação contribuiu para sua retirada das competições olímpicas, ela se esquivou ao retuitar um post de Andrea Orris, uma treinadora de fitness e ex-ginasta olímpica. O tuíte dizia: “Fico muito frustrada ao ver comentários sobre Simone não ser mentalmente forte o suficiente ou desistir de seu time. Estamos falando sobre a mesma garota que foi molestada pelo médico da equipe durante toda a sua infância e adolescência. Essa menina sofreu mais traumas aos 24 anos do que a maioria das pessoas jamais passará na vida.”

Além de dar o passo prático e compreensível de se retirar para proteger sua saúde mental, Biles, sem dúvida, usará sua fé para apoiá-la neste momento.

“Fui ensinada que você pode ir a ele [Deus] para qualquer coisa e ele é quem dirige a sua vida. [Minha mãe] sempre diria que se você não sabe, deixe para Deus. Ore a ele sobre isso”, disse a atleta.



Guia me

ÚLTIMOS POSTS