Esta é a Mensagem: Amemos Uns Aos Outros

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Texto: 1 João 3:12-15

Introdução: Em
nossa última mensagem desta série, examinamos em profundidade dois tipos
específicos de amor, ágape e fileo. Descobrimos que, embora possamos possuir os
dois tipos de amor por um indivíduo, podemos ter um tipo de amor por uma pessoa
e então ver esse amor se transformar no outro. Se você é um cristão nascido de
novo, cheio do Espírito Santo, você buscará ser obediente a Deus Pai. Você está
consciente do amor dEle por você, a maior motivação para amá-lo e para amar os
outros. A obediência a Deus requer que você ame uns aos outros – e ame aqueles
que não são crentes; e acredite, eu entendo que nem sempre é fácil. Na verdade,
na carne é impossível. Mas podemos – e devemos – amá-los. Mas como?

A falha em entender o
tipo de amor que Deus ordena pode levar à culpa e à frustração. A Bíblia
não diz que você terá um sentimento indistinto de advertência por todas as
pessoas que encontrar. Na verdade, a Bíblia o adverte claramente para ficar
longe de algumas pessoas: há algumas das quais você deve se afastar, e outras
de quem é melhor fugir! Como posso amar as pessoas que devo evitar? Você pode
amá-las com uma atitude mental de amor, orar por eles com a compreensão de que
Deus as ama, Jesus morreu por elas e você pode ser aquele que Ele usará para
levá-las à fé Nele. Existem algumas pessoas muito piedosas na maioria de nossas
igrejas que antes não eram pessoas muito agradáveis. Ei, você pode ser um delas!

Em 1 João 3:11, lemos: “Porque
esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio, que nos amemos uns aos outros”.

Agora, João vai pintar para nós um contraste surpreendente entre amor e ódio.
Se estiver disposto a olhar de perto tanto para o amor quanto para o ódio, você
terá a oportunidade de ter sua fé em Jesus Cristo confirmada e, se não for
confirmada, você terá a oportunidade de se arrepender. E estou absolutamente
convencido de que não há falha para a qual o arrependimento seja mais
necessário do que no pecado de não amarmos uns aos outros como deveríamos.

I. O Oposto do Amor é
o Ódio. V. 12-13.

“não sendo como Caim,
que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas
obras eram más e as de seu irmão justas. Meus irmãos, não vos admireis se o
mundo vos odeia”

A. Os cristãos são
ordenados a amar uns aos outros. V. 11.

B. Caim é apresentado como um exemplo de alguém que odiava.

1. Eva pode muito bem ter presumido que Caim era o
Descendente prometido.

2. Em vez disso, Caim era do maligno.

3. “Era” implica uma posição com o maligno.

4. ‘Era” implica um relacionamento contínuo.

5. O comportamento de Caim estava relacionado ao seu
relacionamento com o maligno.

6. O ato brutal de Caim não foi um simples impulso.

7. Ele queria Abel morto.

8. Caim odiava Abel porque ele era mau.

9. O ódio e o mal se alimentam.

C. Caim matou seu
irmão.

1. Este foi o primeiro assassinato da história.

2. Caim não matou alguém que era uma ameaça para ele.

3. Ele matou aquele que deveria ter amado.

D. As razões para o
assassinato de Abel por Caim são básicas e atemporais.

1. “Porque” as ações de Caim eram más, ele odiava
seu irmão.

a. As ações de Caim eram aparentemente continuamente más.

b. Não estamos falando de um ato simples aqui.

c. Este não foi um homicídio justificável.

d. Este não foi um impulso repentino.

e. Este foi um assassinato premeditado.

f. O assassinato foi incubado e gerado em um coração cheio
de ódio.

2. “Porque” as ações de Abel eram justas, ele foi
odiado por seu irmão.

a. Caim odiava Abel porque ele era do maligno.

b. O “maligno” odeia a justiça.

c. A justiça de Abel alimentou um ódio fervente no coração
de Caim.

3. Podemos inferir que Caim era continuamente mau.

4. Também podemos inferir que Abel era continuamente justo.

5. “Justo” implica mais do que bom humano.

6. “Justo” implica um relacionamento com Deus.

7. “Justo” revela o caráter e a natureza de Deus
na vida de alguém.

8. Não é de se admirar que Satanás odiasse Abel.

9. Se Satanás odiava Abel, era de se esperar que Caim o
odiasse.

E. Agora compare isso
com algumas coisas que Deus odeia. Provérbios 6:16-19
“Há seis coisas que o Senhor detesta; sim, há sete que ele abomina:
olhos altivos, língua mentirosa, e mãos que derramam sangue inocente; coração
que maquina projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal;
testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos”.

F. O ato aberto de
Caim seguiu-se a pecados de atitude mental.

1. O assassinato segue o ódio, assim como o ódio segue a
inveja, o ciúme ou a cobiça.

2. Jesus amplia isso no Sermão da Montanha. “Ouvistes que foi dito aos antigos: NÃO
MATARÁS; e, Quem matar será réu de juízo. Eu, porém, vos digo que todo aquele
que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu
irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: Tolo, será réu do
fogo do inferno”
(Mateus 5:21-22).

G. Como Caim odiava
Abel, o mundo irá odiar você. V.12.

1. O “porque” no versículo 12 ainda se aplica hoje.

2. O mundo odeia os justos.

a. Isso explica a intensidade dos ataques aos cristãos.

b. Isso alimenta a descristianização da América.

c. Existem muitos exemplos:

ACLU, islamismo, comunismo, artistas liberais, políticos,
tribunais e educadores.

3. “Se” é uma condição de primeira classe, o que significa
que o mundo vai odiar você.

Acredite em mim, tanto Jesus Cristo quanto os cristãos
comprometidos são odiados no mundo em que vivemos.

Se você não experimenta nenhum ódio do mundo, ou você é
ingênuo, ou você se retirou do mundo ou o mundo não vê o suficiente de Cristo
em você para se preocupar. Se Cristo se manifestar em sua vida, o maligno fará
com que você seja odiado pelo mundo, assim como você é odiado pelo maligno.

4. O ódio caracteriza o mundo, não o cristão.

II. O Amor Aos “Irmãos”
é Uma Prova de Salvação. V. 14-15.

“Nós sabemos que já
passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece
na morte. Todo o que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum
homicida tem a vida eterna permanecendo nele”

A. Deus quer que você
saiba que é Seu filho. V. 14a.

1. “Nós sabemos” isso porque adotamos a sã doutrina.

a. A palavra significa perceber.

b. Significa apreciar.

c. A certeza não se baseia no que você sente em seu coração.

d. A certeza da salvação é baseada na promessa de Deus.

d. É algo que você pode e deve saber.

2. Esta é outra das provas da salvação apresentada nesta
epístola.

3. O que sabemos é que “passamos
da morte para a vida”.

4. Qualquer pessoa que precise de certeza de salvação pode
começar bem aqui.

B. Nós sabemos “porque amamos os irmãos”. V. 14b.

1. Este é o tipo de amor ágape.

2. Ágape é um tipo de amor de atitude mental.

a. Eu sei que Deus me ama.

b. Eu sei que Ele ama os “irmãos”.

c. Eu sei que Ele me ordenou amar os “irmãos”.

d. Eu sei que Ele me permite amá-los.

e. Eu desejo e busco o bem maior para os outros.

f. Eu faço isso mesmo que eles não pareçam retribuir.

g. Faço isso para pessoas desagradáveis.

Eu faço isso por pessoas de quem nem gosto! Eu sei que isso
é perigoso porque alguém pode interpretar mal. No entanto, é uma confissão
honesta. Não tenho prazer em confessar que há pessoas de quem não gosto, mas negar
seria mentira. Existem pessoas que Deus espera que eu ame, mesmo que eu não
goste delas – e não estou apenas falando sobre não gostar de seus caminhos, eu
não gosto delas. Essas pessoas são desagradáveis, ofensivas, arrogantes e, em
alguns casos, perigosas. Existem pessoas por aí que destruiriam seu filho ou
neto por nenhum motivo melhor do que seu ódio pela retidão e seu amor pelo
maligno. Deus nos diz para evitá-las. No entanto, se houver uma oportunidade de
testemunhar a eles, devemos estar prontos e dispostos.

Você e eu não conhecemos todas as circunstâncias, e podemos
perder o fato de que até mesmo um bandido vulgar, profano e arrogante pode
estar clamando por ajuda interiormente. Não é suficiente dizer: “Não posso amar
a todos, mas Cristo em mim pode; tudo o que tenho que fazer é deixar que Cristo
em mim os ame”. Deus não tem que ordenar a Jesus que os ame, Ele já morreu por
eles. Ele me manda amá-los e devo fazer isso.

3. Este tipo de amor não é possível para aqueles que não
passaram da morte para a vida.

4. Seus sentimentos estão sujeitos a mudanças repentinas.

5. As mudanças de humor não oferecem nenhuma garantia de que
temos vida eterna.

6. Por ter aceitado a sã doutrina, você tem certeza da
salvação.

C. Por contraste, “Quem não ama permanece na morte”. V.
14c.

1. Aqueles que amam passaram da morte para a vida.

2. Aqueles que não praticam este tipo de amor ainda residem
na morte.

3. Ágape ama sem buscar nada em troca.

Talvez você já tenha ouvido alguém dizer: “Não me
importo de ajudar as pessoas se elas apenas mostrarem um pouco de
gratidão”. O amor humano geralmente se deleita com o bem humano, e isso é
muito melhor do que o mal humano. O amor que o mundo conhece geralmente é
recompensado com placas, depoimentos e prêmios. O amor do tipo ágape não busca
recompensas, não busca reconhecimento e não exige apreciação. Em Jesus Cristo,
você ama como Ele ama. Você ama os “irmãos” e também ama os outros. Sua maior
motivação é o amor de Deus por você. A segunda maior motivação é o seu amor por
ele. Sua próxima motivação é o conhecimento do que Deus espera de você. Você
não é motivado pelo que pensa que Deus fará por você ou pelo que pensa que os
outros farão por você. A necessidade do seu próximo se torna sua oportunidade.
A consciência de que você está fazendo isso em obediência ao comando de seu
Senhor dá a garantia de que você passou da morte para a vida.

D. Todo aquele que
odeia seu irmão é um assassino. V. 15a.

1. Essa é uma linguagem forte.

2. Se você odeia seu irmão, a semente do assassinato está
viva em seu coração.

a. Quem odeia mata com a mente.

b. O ódio é a semente, mata a colheita.

c. Quando você odeia alguém, ele já está morto em seu
coração.

E. “vós sabeis que nenhum homicida tem a vida
eterna permanecendo nele”.
V. 15b.

1. O ódio é a culminação dos pecados de atitude mental.

2. Esses pecados incluem inveja, ciúme e cobiça.

3. Não existe ódio geral, ele tem um objeto.

4. Não existe ódio instantâneo.

5. O ódio é resultado de um câncer inflamado de sentimentos
e atitudes do coração.

F. O assassinato é o
extremo oposto do amor.

1. O amor é o oposto da luxúria.

2. O amor é o oposto da inveja.

3. O amor é o oposto da cobiça.

4. O amor é o oposto da popularidade (você é sal, não
açúcar!).

5. O amor é o oposto de apenas “ser religioso”.

6. Uma pessoa religiosa pode fazer o bem por meio do desejo
egoísta de receber recompensas.

G. O amor pelos
irmãos é um modo de vida maduro.

1. Saber isso é compreender a vida cristã.

2. Experimentar isso é ter certeza de que você passou da
morte para a vida.

Conclusão: O amor
pelos irmãos é um dos frutos mais gloriosos que crescem na árvore da maturidade
cristã. Você sabe que passou da morte para a vida se amar os irmãos. Quanto
mais você crescer em sua compreensão de tudo isso, mais apreciará esta grande
doutrina e mais será abençoado por ela. Vivemos em uma época em que as pessoas
assistem a aulas e conferências sobre tudo o que você pode mencionar. Elas
pesquisam na Internet em busca de ajuda com qualquer coisa que você possa
imaginar. Porque não ir à Palavra de Deus – e ao Deus da Palavra – e buscar
ajuda para amar uns aos outros? Assuma esse compromisso e medite continuamente
no princípio de amar uns aos outros. Peça ao Senhor para ajudá-lo. Acima de
tudo, não demore e não presuma que isso é algo que simplesmente acontece.

Fonte: Esboçosermão

ÚLTIMOS POSTS