‘Estamos no fim dos tempos e devemos pregar a todos’, diz pastor que evangeliza nas ruas

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O pastor Charles Kaloli Nsubuga está reforçando a missão de pregar o Evangelho em mercados e estradas para compartilhar as Boas Novas para mais famílias e comunidades no distrito comercial central de Kampala, em Uganda.

Com um sistema de alto-falantes, púlpito portátil e um intérprete, o Pr. Kaloli insistiu que vivemos no Fim dos Tempos, portanto, os ministros do Evangelho devem permanecer comprometidos em preparar as nações para a vinda de Jesus Cristo.

Ele citou Mateus 24:14, que diz: “E Este Evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.”

Por meio de Mateus 11: 28-29, que diz em parte: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados ​​e oprimidos, e eu vos aliviarei …”, o pastor Kaloli explicou que Jesus Cristo oferece esperança a todos os desafiados pelas dificuldades desencadeadas principalmente pela pandemia.

Ele insistiu que o desejo de Deus é que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento e recebam o dom da salvação de Deus por meio de Jesus Cristo.

Dificuldades com internet

Nem todo cristão em Uganda tem acesso a serviços de transmissão ao vivo ou outras plataformas digitais usadas para compartilhar o Evangelho após o fechamento prolongado de igrejas devido à Covid-19. Essa é a razão que alguns líderes da Igreja, como o pastor Kaloli Nsubuga do Miracle Worship Center, decidiram ministrar em locais públicos.

Enquanto o presidente Yoweri Kaguta Museveni relaxou a maioria das restrições ao coronavírus na sexta-feira (13) para permitir a recuperação do setor privado, os prédios da igreja permanecerão fechados por mais 60 dias, junto com escolas, academias e bares etc.

Os relatórios mostram que havia 12,16 milhões (26,2%) de usuários de Internet em Uganda em janeiro de 2021. O número de usuários de Internet no país aumentou apenas 1,5 milhões (+ 14%) entre 2020 e 2021.

Longe da realidade local

O Dr. Dennis Kilama, pastor e vice-reitor da Universidade Renovação da África em Uganda, uma universidade evangélica que prepara líderes para transformar a sociedade, escreveu um artigo, publicado pela Gospel Coalition (África), dizendo que, na esteira do Covid-19, a possibilidade de pastorear uma congregação usando a internet está longe da realidade e não é uma possibilidade para a maioria dos pastores africanos.

“A Internet é um luxo. Poucos podem pagar”, disse ele, observando, no entanto, que “este não é o momento para um pastor se retirar e tirar uma licença sabática”.

Ele avisou aos pastores que muitos fiéis que ficaram sem pastor se alimentarão de “veneno espiritual” que poderia causar efeitos de destruição a longo prazo após o fim do Covid-19.

O Pr. Dennis Kilama disse ainda que é essencial que os pastores reestruturem as operações do ministério da igreja e pratiquem a liderança como uma equipe e não como liderança individual. “Certifique-se de que cada membro esteja diretamente sob algum cuidado pastoral e responsabilidade”, disse ele.

Pastorear de perto

O pastor recomendou o uso regular de comunicação telefônica e registro de detalhes da situação de cada membro.

“Conheça a situação de cada membro durante esta pandemia e como apoiá-los. A maioria das pessoas nas igrejas africanas vive em um espaço geográfico próximo que pode ser percorrido a pé ou acessível por transporte público. É importante que um pastor praticamente agrupe os membros com base em seu local de residência. Isso garantirá que a qualquer momento um membro possa ser facilmente alcançado por outro membro da igreja para fornecer apoio um ao outro. É preciso entender que distanciamento social não é distanciamento relacional”, afirmou.

“Dos fiéis à liderança e da liderança aos fiéis. As linhas de comunicação devem ser esclarecidas para os membros. Coloque cuidado pastoral sobre os membros em suas diferentes áreas. Cada 10 pessoas deve ter um líder pastoral a quem se reportar. Prepare material que eles possam usar quando a congregação não puder reunir corporativamente. Isso pode incluir um esboço de sermão, um guia de estudo da Bíblia e uma planilha para crianças. Isso informará o conteúdo do estudo e as reflexões das escrituras. E evite a infiltração de falsas doutrinas”, disse o Pr. Kilama.



Guia me

ÚLTIMOS POSTS