Exército de Mianmar ataca igreja, mata 4 fiéis e deixa outros 8 feridos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A situação caótica que Mianmar tem atravessado desde o golpe militar que derrubou o governo tem resultado em repressão aos cristãos do país. Quatro pessoas foram mortas e outras oito ficaram feridas na última segunda-feira, 24 de maio, após um ataque do Exército a uma igreja.

O templo atacado fica na vila de Kayan Tha Yar, em Kayah. Um morador usou as mídias sociais para denunciar o episódio: “Três mulheres e um homem foram mortos numa igreja cristã do desfiladeiro às 3 da manhã”.

De acordo com informações da entidade CSW, o incidente se soma a uma série de investidas contra cristãos e igrejas que ocorrem em meio a uma repressão mais ampla dos golpistas contra civis desde 01 de fevereiro.

A informação oficial do Ministério de Cooperação Internacional do Governo de Unidade Nacional de Mianmar diz que aproximadamente à 01h do dia 24 de maio as forças militares dispararam um projétil de artilharia pesada contra a igreja católica em Kayan Thar Yar, onde idosos e crianças teriam se escondido depois de fugirem de suas casas por conta de ataques anteriores em sua aldeia.

Esse ataque ocorreu apenas dois dias depois de uma invasão ao templo da Igreja Batista Karen em Insein, Yangon. O pastor da igreja e dois outros jovens foram violentamente espancados e detidos, o templo foi saqueado e toda a mobília destruída.

Desde o golpe militar, protestos contra os militares vêm sendo registrados no país, assim como a dura repressão da parte dos golpistas. Um padre foi preso no dia 13 de maio enquanto viajava de sua diocese, em Banmaw, para Myitkyina.

O clérigo católico, identificado como Columban Labang Lar Di, foi solto no dia 17 após membros da comunidade internacional e lideranças religiosas apelarem insistentemente por sua liberdade.

No final de abril, um integrante da Missão Portas Abertas relatou que muitos cristãos têm se escondido na selva para fugir da perseguição dos militares locais.

Benedict Rogers, analista da CSW, comentou que “civis em Mianmar foram submetidos a violações horríveis nas mãos do Tatmadaw (Exército local) por mais de 100 dias”. Ele é autor de livros sobre a história recente do país.

“Expressamos nossas mais profundas condolências a todos aqueles que perderam entes queridos no recente ataque à Igreja Católica em Kayan Thar Yar e continuamos a apelar ao Tatmadaw para que cesse todos os alvos de civis inocentes e desarmados”, afirmou Rogers.

As sanções internacionais ao país são positivas, mas insuficientes, avaliou o membro da CSW: “Instamos o governo do Reino Unido e seus aliados a assumirem a liderança na implementação de novas sanções contra os militares e suas empresas e a coordenar a imposição de um embargo global de armas”, disse, pedindo a retenção dos recursos que sustentam o Exército mianmarense.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

Seu Você Oposto

Mateus foi um apóstolo, um autor de um dos evangelhos. Mas, antes que dele ser Mateus, ele foi Levi, um judeu que trabalhou para a

Leia Mais »