extremista promete decapitação a cristãos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um integrante da Irmandade Muçulmana de Nova York gravou um vídeo há poucos dias em que ofende e ameaça cristãos de morte. O material vem percorrendo todo o mundo como um exemplo da perseguição religiosa aos seguidores de Jesus Cristo.

No dia 15 de novembro de 2021, o ativista da Irmandade Muçulmana de Nova York, Bahgat Saber, publicou um vídeo em suas contas no YouTube e no Facebook no qual ele amaldiçoava e ameaçava o sacerdote copta egípcio Zakaria Botros, conhecido por suas críticas ao Islã.

Aos gritos, com palavrões e baixarias, Bahgat Saber amaldiçoou o sacerdote conta e sua mãe, e disse que se “o cachorro cristão” Botros estivesse nos Estados Unidos como algumas pessoas disseram que ele está, ele iria “dar uma surra” nele.

Saber também ameaçou o analista político egípcio Magdi Khalil, a quem ele também chamou de “cachorro cristão”, dizendo que se ele amaldiçoar o profeta Maomé, ele também o agredirá.

Bahgat Saber enfatizou ainda que a punição comum entre muçulmanos por ofender o profeta Maomé é a decapitação. O ativista, em seguida, enfatizou: “Decapitação, seus filhos da p*** imundos!”, esbravejou, de acordo com informações do portal Israel 365 News.

Há anos os extremistas muçulmanos prometem uma caçada global a cristãos, descritos por eles como infiéis.

Em 2019, um especialista no Alcorão afirmou que a morte de cristãos se justifica pelos escritos do livro sagrado da religião: “Aqueles que fazem guerra contra Alá e Seu Mensageiro [Maomé]… devem morrer em agonia, não apenas serem mortos. É o que o versículo diz”, afirmou Abolfazl Bahrampur.

Na mesma entrevista, Bahrampur sugeriu meios de executar os seguidores de Jesus: “Crucificados, o que significa que eles devem ser pendurados; ou suas mãos e pés, em lados alternados, devem ser cortados”, declarou.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS