Família é alvo de ataque recorde no governo Biden, diz entidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um relatório produzido por uma entidade de defesa da família nos Estados Unidos apontou que grande parte das medidas do governo Biden em seus primeiros 100 dias, incluindo 40 decretos, representam um recorde de iniciativas contrárias à família tradicional.

O Family Research Council (“Conselho de Pesquisa da Família”, em tradução do inglês) publicou no final de abril um relatório sobre medidas adotadas pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Partido Democrata) apontando os detalhes das ações consideradas contrárias aos valores familiares e de defesa da vida.

A plataforma “Tracking the Biden Administration” (“Rastreando o Governo Biden”) foi usada para a análise pelo Family Research Council (FRC), que concluiu que destas 62 medidas no período, 32 eram diretamente prejudiciais à defesa da vida, da família tradicional e da liberdade religiosa.

Tony Perkins, pastor e presidente da FRC, afirmou que o apelo de Biden por “unidade e cura” da nação no primeiro dia de sua presidência não passou de “um desvio retórico”, já que suas políticas podem inclinar a América “à esquerda em proporções históricas”.

“Como mostra o nosso relatório, o presidente Biden avançou em um ritmo recorde para promulgar uma agenda anti-família de extrema esquerda. Os troféus Biden de sua corrida de 100 dias incluem o retorno às políticas pró-aborto de Barack Obama, obrigando os contribuintes a voltarem a uma parceria com a indústria do aborto, tanto aqui quanto no exterior”, criticou Perkins.

“Como mostra este relatório, o contraste entre os governos Trump e Biden não poderia ser mais gritante”, acrescentou Perkins.

Radicalismo

Os dados mais recentes da FRC indicam que mais de US$ 479 bilhões dos fundos de contribuintes americanos estão sendo usados pelo governo Biden para financiar abortos e clínicas de abortos: “Ele deixou claro que não dá valor à dignidade inerente à vida humana. Suas ações negam a verdade de que toda vida humana, nascida e não nascida, possui dignidade inerente e merece ser tratado com respeito”, protestou o presidente da entidade.

Na visão do pastor, o governo democrata mais radical da história representa uma ameaça às pessoas e organizações religiosas, já que fez uma “afirmação uniforme da ideologia transgênero” e tem se dedicado a promover a agenda LGBT.

“Aqueles que defendem a realidade biológica e as doutrinas das principais religiões do mundo estão sendo colocados em posição de violar suas consciências ou serem tratados pelo governo como cidadãos de segunda classe”, opinou Perkins.

A FRC também chama a atenção para as nomeações feitas no governo Biden, que montou um time de auxiliares mais pró-aborto da história dos EUA: “Esses funcionários terão a tarefa de implementar a agenda liberal radical de Biden e fazer cumprir as leis federais”, frisou a organização.

Os pronunciamentos de Joe Biden até aqui são avaliados como hipócritas por Travis Weber, vice-presidente de Política e Assuntos Governamentais do FRC: “As palavras do presidente Biden não combinam com suas ações. Seu argumento de unidade soa vazio, já que os primeiros 100 dias de Biden no cargo foram marcados por ações radicais, agressivas, antivida, antifamília e anti-liberdade que dividiram ainda mais nossa nação”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS