Fantasias sexuais são pecado, mesmo entre marido e mulher, diz Piper

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O podcast do pastor John Piper é um dos espaços de debate sobre a fé cristã mais procurados por fiéis com dúvidas a respeito da jornada espiritual. Em uma edição recente, um ouvinte questionou sobre fantasias sexuais e a resposta foi contundente: “É pecado”.

O tema surgiu da pergunta de uma mulher que falou sobre um hábito do marido, que gosta de fantasiar situações envolvendo dominação: “Ele quer que eu diga coisas como ‘Eu sou sua escrava’. Ele quer que eu use alguns colarinhos em volta do pescoço. Ao extremo, ele gosta de fantasiar que está me estuprando”.

“Ele é uma pessoa muito legal fora do quarto. Ele apenas pergunta se pode representar a fantasia na cama. O que devo fazer?”, questionou a mulher.

John Piper afirmou que “fantasiar o pecado é pecado”, mesmo que essas práticas estejam restritas a um ambiente de consentimento e que não representem a realidade.

O pastor citou as palavras de Jesus em Mateus 5:27-29 para justificar sua conclusão sobre o assunto: “Ouvistes que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. Mas eu digo a você que todo aquele que olha para uma mulher com intenção lasciva, já cometeu adultério com ela em seu coração. Se o seu olho direito o faz pecar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é melhor você perder um de seus membros do que todo o seu corpo ser lançado no inferno”.

A partir desse texto, o pastor salientou que “o padrão de santidade de Jesus não é apenas um padrão de atos corporais, mas também de prazeres mentais”.

“Se você precisa de sexo cada vez mais pervertido – atos sexuais cada vez mais bizarros e não convencionais às custas do prazer de seu cônjuge – você está elevando seu apetite acima das delícias dele. Esse não é o caminho de Cristo”, afirmou Piper.

“Se você busca um ato sexual ou uma situação sexual imaginária porque é mais estimulante, cintilante, prazeroso, porque é proibido, então você está vivendo como um tolo e está incorporando o princípio da escravidão”, acrescentou o pastor.

O fundador do ministério Desiring God também avisou que se um “desejo sexual se tornou tão proeminente na maneira como você busca a satisfação na vida, que você deve ultrapassar os limites das convenções sexuais para ser uma pessoa alegre e satisfeita, seu Deus e seu propósito de vida terão que se tornarem muito pequenos”.

“Em outras palavras, precisamos de uma visão grande, bela, gloriosa, transcendente e majestosa de Deus e de seu propósito para nossas vidas se o sexo quiser permanecer em seu lugar prazeroso e pequeno”, concluiu o pastor.

De acordo com informações do portal The Christian Post, em 2020, Piper afirmou que Deus às vezes envia sonhos sexuais indesejados para “nos aterrorizar com avisos a fim de humilhar nosso orgulho e nos impedir de pecar”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS