Flordelis quer que detetive de programa de televisão dos EUA investigue seu caso

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Deputada Federal Flordelis, na Câmara dos Deputados, em Brasília

A deputada Flordelis , acusada de ser a mandante do assassinato do marido e pastor Anderson do Carmo em junho de 2019, disse que a Justiça brasileira quer prendê-la “a qualquer custo” e que, agora, procura ajuda internacional. Ela quer que o detetive norte-americano Pat Postiglione, que tem um programa de TV de investigação Discovery Channel, investigue seu caso.

Em entrevista à revista The New Yorker , Flordelis disse que, no Brasil, querem “fazer dela a mente por trás do assassinato” do pastor Anderson e, por isso, ela está procurando ajuda fora do país.

Na ocasião, o jornalista norte-americano disse que a mulher foi indiciada “sem qualquer prova, apenas por mensagens no meu celular”. Ela também comentou o fato de ter seis filhos presos e, de acordo com ela, eles só estão na prisão porque “sabiam da mensagem do assassinato de meu marido”.

“Mas aí eu pergunto: E os outros que também sabiam? Por que eles não estão na prisão? Claro, eu não gostaria de ver nenhum dos meus filhos na prisão. Mas o Ministério Público alega que prendeu alguns porque eles sabiam e nada fizeram para impedi-lo. Toda a família sabia. Até meu marido sabia”, acrescentou a deputada.

O detetive de quem a acusada quer ajuda é famoso pelo programa de televisão, já investigou diversos homicídios e é responsável pela prisão de três serial killers em em Nashville, no Tennessee ( EUA ). Além disso, ele é conhecido por ter “memória fotográfica” que o permite lembrar de todos os detalhes de suas investigações.

Conselho de Ética

Relator do caso da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) no Conselho de Ética da Câmara, Alexandre Leite (DEM-SP) afirma haver quatro motivos que justificam a cassação do mandato da parlamentar.

Leite defende a punição mais extrema disponível por quebra de decoro em parecer que deve ser votado hoje à tarde pelos integrantes do colegiado.

Na avaliação de Alexandre Leite, por duas vezes, Flordelis abusou das prerrogativas constitucionais asseguradas aos membros do Congresso e, por outras duas vezes, buscou fraudar o andamento dos trabalhos legislativos para alterar o resultado da deliberação no conselho.

Para o relator, Flordelis mentiu ao não conseguir comprovar o que alegou como defesa e mentiu sobre a compra da arma usada no crime. Ainda, diz o deputado, ela tentou cooptar uma testemunha e abusou das prerrogativas que o mandato lhe dá ao tentar culpar os filhos pela morte de Anderson por meio da imprensa.

Se a maioria do colegiado optar pela punição, Flordelis terá o prazo de cinco dias úteis para recorrer à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e, caso queira, se pronunciar sobre eventuais vícios do processo.

Após essa tramitação, seja no Conselho de Ética ou na CCJ, o parecer aprovado será encaminhado à Mesa da Câmara dos Deputados para leitura no expediente, publicação e inclusão na Ordem do Dia.

O texto com a proposta de perda do mandato precisará necessariamente ser analisado em votação por maioria absoluta (ao menos 257 votos) pelo plenário da Câmara.

Fonte: UOL e Último Segundo




Folha Gospel

ÚLTIMOS POSTS