Igreja e editora de Silas Malafaia devem R$ 4,6 milhões em impostos, diz site

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Pastor Silas Malafaia e Jair Bolsonaro

A Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo e a editora Central Gospel, ambas dirigidas pelo pastor Silas Malafaia, devem R$ 4,6 milhões em impostos, revelou hoje o portal UOL.

Os dados da PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional) se referem a fevereiro de 2021 e foram obtidos pelo UOL por meio da LAI (Lei de Acesso à Informação). Segundo o site, esse valor é quase o triplo do registrado em dezembro de 2018, quando a dívida somava R$ 1,59 milhão.

A Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, da qual o pastor Silas Malafaia é presidente, tem R$ 2,89 milhões em dívidas totais, referentes a imposto de renda e contribuições previdenciárias.

Já a Central Gospel, que tem o pastor como sócio-administrador e a mulher dele, Elizete, como sócia, possui R$ 26.000 em débitos da CSLL (Contribuição Social do Lucro Líquido). A editora, que está em recuperação judicial desde 2019, possui R$ 1,76 milhão em dívida ativa no total.

Na época, o próprio Malafaia publicou um vídeo onde fala que pediu recuperação judicial da sua empresa, a Editora Central Gospel e porque fez isso.

“Um dos setores mais afetados pela crise foi o setor editorial. A Cultura, a Saraiva, estão em recuperação judicial. Então eu sou uma editora. Para você ter uma ideia, hoje eu estou vendendo 25% do que eu vendi em 2015. A recuperação judicial é um instrumento legal para que as empresas paguem suas dívidas, se reestruturem e continuem a sua marcha. A editora Central Gospel vai continuar. Eu só estou pedindo recuperação judicial para reorganizar essa empresa, pagar as dívidas e continuar a nossa marcha”, disse Malafaia em 2019.

A CSLL (Contribuição Social do Lucro Líquido) foi tema de uma mudança na lei que pode criar um perdão bilionário em impostos de dívidas de igrejas, segundo dados da Receita Federal. Bolsonaro e a bancada evangélica atuaram para modificar a legislação num movimento contrário às multas contra igrejas.

Malafaia, que em 2013 realizou o casamento religioso de Jair Bolsonaro e da primeira-dama Michelle, declarou ao UOL que pagou R$ 7 milhões em impostos desde 2018.

O pastor disse ao site que parte dos débitos que possui é questionada na Justiça e na Receita, com base na nova lei, que pode criar um perdão bilionário em impostos de dívidas de igrejas. Malafaia ainda relacionou o crescimento dos valores com refinanciamentos da outra parte das dívidas e com o aumento de funcionários por causa da abertura de mais de 40 templos desde 2019.

“Para se ter ideia, agora, estamos inaugurando oito igrejas. Isso requer secretário, zelador, pastor e tudo isso”, afirmou o pastor.

Fonte: UOL, Poder 360 e Carta Capital


Folha Gospel

ÚLTIMOS POSTS