Igreja precisa cuidar de crianças largadas pelos pais

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O cantor Michael W. Smith está alertando a Igreja a “acordar” para a situação dos órfãos e refletir o coração de Deus por Seus filhos servindo como mentores e “pais substitutos” destas crianças e adolescentes.

Em uma entrevista recente, o cantor e compositor de 63 anos comentou sobre os trágicos efeitos da ausência do pai na vida dos filhos – desde o vício em drogas e álcool até o suicídio de adolescentes.

Estudos mostram que um número surpreendente de 39% dos alunos dos ensinos Fundamental e Médio não têm pai: “Precisamos de muitos pais substitutos. Temos milhares de jovens que precisam de mentores, e não acho que seja função do governo. Acho que é função da Igreja ser mentora”, disse o cantor.

“É uma crise para a qual precisamos acordar, perceber que temos que fazer parte da solução e temos as ferramentas para ser uma solução e ajudar. Deixe a Igreja se levantar e eu estou apontando o dedo bem para mim também”, acrescentou.

Michael W. Smith é pais de cinco filhos e avô de 16. Para ele, a paternidade é um assunto que preocupa, muito por que seu pai, Paul Smith, ofereceu a ele amor, paciência e sacrifício, o que transformou sua vida e o ensinou sobre o caráter de Deus.

“Meu pai me ensinou como Deus É em vários níveis”, disse. Seu pai morreu em 2015. “Ele esteve lá para mim por toda a minha vida. Ele me amou. Ele tinha tantos atributos de Deus, e seu copo estava sempre meio cheio. Ele estava otimista, sorria e ria todos os dias. Ele alimentava os sem-teto e amava muito minha mãe”.

Agora, Smith está honrando o legado de seu pai em seu livro recém-lançado, The Way of the Father: Lessons from My Dad, Truths about God (“O caminho do Pai: Lições do meu pai, Verdades sobre Deus”, em tradução livre).

Nele, ele compartilha histórias comoventes da vida de seu pai e como sua figura refletia a de Deus, desde amar incondicionalmente até triunfar diante da tragédia.

De suas raízes humildes na Virgínia Ocidental a apresentações para milhões de pessoas em palcos ao redor do mundo, Michael W. Smith disse que seu pai sempre foi seu maior fã.

Ele contou a história de quando, seu pai já idoso, caiu e teve que ser transportado em uma ambulância e levado às pressas para um hospital próximo enquanto sua esposa devastada e filho assistiam.

Mas enquanto estava na maca, Paul Smith ergueu a cabeça e disse aos paramédicos: “Vocês sabem quem é aquele aí? Esse é meu filho, Michael W. Smith. Ele estava muito orgulhoso de mim”, lembrou o cantor, rindo.

Depois de ouvir seu pai falar dele dessa forma, o artista disse que ouviu a voz de Deus dizer-lhe: “’É assim que me sinto por você’. Tirou meu fôlego. Foi um momento de epifania para mim. Eu contei essa história em muitos shows no final da noite, comparando isso com o amor de Deus”.

Apaixonado por cuidar das próximas gerações, Michael W. Smith fundou a Rocketown of Middle Tennessee, um centro religioso para jovens no centro de Nashville, há quase 30 anos.

“Muito do que fazemos é apenas orientar e amar as crianças que não têm famílias muito boas. Essas crianças sabem que são amadas e estimadas e não importa o que tenham feito ou de onde venham, nós simplesmente as amamos”, resumiu, segundo o portal The Christian Post.

Por meio de seu livro, o cantor diz que ora para que os leitores percebam o quão bom Deus é verdadeiramente Pai, enfatizando que acreditar na bondade de Deus é uma “virada de jogo”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS