Lei que usa dinheiro público para transição de gênero em crianças é aprovada na Califórnia

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um projeto de lei da Califórnia que pretende criar um fundo de “bem-estar transgênero” financiado com dinheiro público para crianças e adultos que desejam mudar de gênero foi aprovado na Assembleia Estadual e em dois comitês do Senado, o que significa que os cidadãos do estado poderão em breve ver o dinheiro de seus impostos sendo usado para pagar a ‘terapia hormonal’ e cirurgias de mudança de sexo para menores de idade e adultos.

Entre os que estão criticando a lei, está o Conselho de Família da Califórnia, que diz que o dinheiro seria usado para “esterilizar crianças”, que desejam mudar de gênero.

O projeto de lei, AB 2218, estabeleceria um “Fundo de Bem-Estar e Equidade para Transgêneros” dentro do Departamento de Saúde Pública do Estado para beneficiar organizações, hospitais e clínicas de saúde que “fornecem serviços de saúde em conformidade com o gênero e têm uma parceria estabelecida com um organização liderada”, de acordo com o texto do projeto de lei.

Ele foi aprovado no comitê de verbas do Senado estadual por 7 votos a 0 na segunda-feira e passou pela Assembleia em junho.

A proposta é que o dinheiro seja usado para uma variedade de fins, incluindo materiais educacionais e programas de artes, mas também para “serviços de saúde que afirmam o gênero, como terapia hormonal ou até mesmo cirurgia de redesignação de gênero”, de acordo com o texto do projeto de lei.

O projeto não estabelece uma idade mínima para terapia hormonal ou para cirurgia de mudança de sexo, mas cita como argumento um estudo que descobriu que 27% (ou 796.000) das crianças e adolescentes de 12 a 17 anos na Califórnia são “vistos como em inconformidade com seu próprio gênero”.

Saúde em risco

Os defensores do projeto rejeitaram as acusações de que o dinheiro seria usado para esterilizar menores. Mas o Conselho de Família da Califórnia – que se opõe ao projeto de lei – disse em um comunicado que as crianças que se identificam como transexuais ou transgênero recebem inicialmente “drogas para prevenir a puberdade”. Em seguida, essas crianças “passam por uma terapia de transição hormonal, então seus corpos começam a imitar a aparência do sexo oposto”.

Os dois medicamentos fazem parte do regime de “terapia hormonal” referenciado no projeto de lei.

“Ambas as drogas usadas juntas esterilizam a maioria das crianças”, disse o Conselho de Família da Califórnia.

A organização publicou formulários online do Hospital Infantil de Los Angeles que avisam os pais das crianças que são submetidas à terapia hormonal que seus filhos podem se tornar estéreis.

“Se seu filho começar a bloquear a puberdade nos primeiros estágios, depois vai para hormônios de afirmação de gênero, eles não desenvolverão esperma ou óvulos. Isso significa que eles não poderão ter filhos biológicos. Este é um aspecto importante do bloqueio da puberdade e da progressão para hormônios que você deve entender antes de prosseguir com a supressão da puberdade”, diz o aviso.

Os formulários também fazem referência a menores que mudaram de ideia sobre a transição. Aqueles que descontinuam os bloqueadores da puberdade e não tomam mais “hormônios de afirmação de gênero” podem “continuar seu desenvolvimento puberal” e manter sua fertilidade. Mas se eles tomarem as duas drogas, os efeitos podem ser irreversíveis, dizem os formulários.

“Os efeitos colaterais e a segurança desses medicamentos não são totalmente comprovados. Pode haver riscos de longo prazo que ainda não são conhecidos”, dizem os formulários.



Guia me

ÚLTIMOS POSTS