Liberdades estão sob ataque, diz protagonista de Deus Não Está Morto

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O ator David A. R. White, protagonista da saga Deus Não Está Morto, afirmou que o novo filme se dedica a denunciar “um inimigo que quer tirar nossas liberdades”.

O filme – que estreia nos cinemas na próxima quinta, 11 de novembro – se debruça sobre o homeschooling, tradição de ensino domiciliar consolidada nos Estados Unidos, mas ainda prematura no Brasil, e sua ligação com a liberdade religiosa.

White, que é filho de pastor, afirmou numa entrevista de divulgação do novo filme que o cenário de hostilidade à liberdade religiosa ao redor do mundo, em especial contra cristãos, tem uma dimensão inédita e preocupa.

“Tenho certeza que lutamos contra um inimigo que quer tirar nossas liberdades, principalmente nossa fé. Nunca antes na minha vida vimos isso mais do que hoje”, disse o ator, que também atuou na produção, roteiro e direção de Deus Não Está Morto – O Próximo Capítulo.

“Sou muito grato por esta franquia. Nunca teria imaginado que esse projeto tocaria a vida de tantas pessoas de maneiras diferentes”, disse White, recapitulando os sete anos de trabalho desde o lançamento do primeiro filme.

Questionado se ele via a saga como revolucionária na indústria do cinema cristão, o ator observou que os longas conseguiram alguns feitos inéditos: “Sempre tive orgulho de Deus Não Está Morto ter sido o primeiro filme cristão a chegar aos cinemas do Brasil. Em todo o mundo, acho que foi certamente um dos primeiros em nossa cultura a mudar a maneira como Hollywood vê os filmes baseados na fé”.

O ator também pontuou que o primeiro dos quatro filmes “era relevante e a mensagem precisava ser ouvida”, e isso levou o filme a se estabelecer como um inquestionável sucesso.

Interpretar o papel de pastor teve um significado especial para White: “Meu pai foi pastor por 40 anos, então sempre adorei esse papel, pois meio que se identifica com a missão em que meu pai estava. Estou muito feliz por continuarmos explorando os diferentes lados do reverendo Dave. Acredito que todos passamos por diferentes situações que estão constantemente nos aproximando do Senhor de maneiras diferentes. Acho que o personagem do reverendo Dave faz isso”.

A respeito da liberdade de pais ensinarem seus filhos em casa, o homeschooling, o ator pontuou que conquistas não devem ser relativizadas: “O que eu mais levo desse filme é que liberdades vêm e vão. É importante lembrar o custo que foi para se conseguir essa liberdade. O governo deveria ter seu limite e não ter o direito de limitar os pais da livre escolha de como gostariam de ver seus filhos serem educados”.

“Acho que o cerne maior é a liberdade, a liberdade de escolher e de acreditar. Você não precisa ser cristão, mas se quiser ser, deve ter esse direito”, pontuou White, acrescentando que espera poder trazer mais um filme dessa saga: “Espero que haja outro capítulo. No entanto, não tenho certeza. Só Deus vai dizer”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS