Libertação – A guerra dos desejos – Site do Pastor

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin


LIBERTAÇÃO – A GUERRA DOS DESEJOS

Êxodo 13.17-22, Êxodo 14.1-12

Deus Onisciente – Salmo 139


“LIBERTAÇÃO – A GUERRA DOS DESEJOS”
foi o título escolhido para este sermão devido aos desejos divergentes dos personagens desta história, revelados no texto bíblico.

Pano de Fundo Histórico: Após as pragas e a instituição da Páscoa do Judeus, tudo estava preparado para uma saída limpa e rápida do Egito, porém, havia um grande conflito entre os DESEJOS dos personagens desta história, e Deus, mais uma vez, demonstra sua Onisciência, agindo com proatividade para resolver a questão.

  • 1º – O desejo de Faraó: Manter o povo escravizado.
  • 2º – O desejo dos escravos: Viver a qualquer custo, livres ou não.
  • 3º – O desejo de Deus: Libertar o Seu povo e conduzí-los à terra prometida.
1º DESEJO: O DESEJO DE FARAÓ

Por fim, Faraó revela o seu desejo de escravizar os israelitas para sempre.

“Sendo, pois, anunciado ao rei do Egito que o povo fugia, mudou-se o coração de Faraó e dos seus oficiais contra o povo, e disseram: Que é isto que fizemos, permitindo que Israel nos deixasse de servir? E aprontou Faraó o seu carro e tomou consigo o seu povo; tomou seicentos carros escolhidos e todos os carros do Egito com capitães sobre eles” (Ex 14.7)

Traçando um paralelo espiritual, podemos dizer que assim também é o inimigo das nossas almas, disposto a nos manter escravos do pecado eternamente, a nos arrastar com ele ao inferno, que foi preparado para ele e seus “anjos”.

2º DESEJO: O DESEJO DOS ESCRAVOS

O desejo dos escravos era viver, livres ou não, mas eles conheciam o poder do exército egípcio e o medo de morrer era mais forte que o desejo de ser livre.

“E chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os olhos, e eis ue os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram muito. Disseram a Moisés: Será, por não haver sepulcros no Egito, que nos tiraste de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos trataste assim, fazendo-nos sair do Egito? Não é isso que te dissemos no Egito: deixa-nos, para que sirvamos aos egípcios? Poir melhor nos fora servir aos egípcios do que morrermos no deserto.” (Ex 14.10-12)

Traçando um paralelo espiritual, podemos dizer que muitas pessoas jamais serão livres do pecado e do mal por causa do medo da opinião de seus familiares, medo das críticas, da confrontação, do enfrentamento, das forças do mal, de sair da sua zona de conforto, do desconhecido, de perder, de lutar, de morrer etc.

Tem gente que se contenta em permanecer na escravidão do pecado.
Somente morrendo para o mundo e para o pecado podemos experimentar a vida plena e a vida eterna.

3º DESEJO: O DESEJO DE DEUS

O desejo do SENHOR era o de libertar e levar o Seu povo à terra prometida.

Um dos atributos do nosso Deus, revelado nas Escritura, é o Seu pleno conhecimento de tudo, seja no passado, presente ou no futuro. Deus já sabia que o desejo dos escravos por libertação não era consistente, não era um grito da alma de “Liberdade ou Morte”, não era um desejo forte o suficiente para enfrentar o medo, por isso Ele fez o povo andar em círculos, dando tempo ao exército de Faraó de encontrar os israelitas para o confronto final.

“Tendo Faraó deixado ir o povo, Deus não o levou pelo caminho da terra dos filisteus, posto que mais perto, pois disse: Para que, porventura, o povo não se arrependa, vendo a guerra, e torne ao Egito” (Ex 13.17)

Traçando um paralelo espiritual, podemos dizer que o SENHOR deseja que todos sejam salvos da escravidão do pecado e nos levar à Canaã Celestial, mas o medo impede muitas pessoas de entrarem nesta bênção, por isso, muitas vezes Deus nos fará andar em círculos para nos obrigar à confrontação e ao enfrentamento.

 
CONCLUSÃO

Na guerra dos desejos estavam pulsando os desejos de Faraó, dos israelitas e do nosso Deus. Por fim, graças à Sua Onisciência, o SENHOR fez com que o Seu povo ficasse cara a cara com o seu inimigo.

O povo de Israel conhecia o poder dos egípcios, mas, apesar dos milagres já vivenciados por todos, ainda não conheciam o poder de Deus: “Endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército; e saberão os egípcios que eu sou o Senhor” (Ex 14.4)

“Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais, aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará; porque os egípcios que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis.” (Ex 14.13-14)

E quanto a você, como anda o seu desejo de ser livre, verdadeiramente livre? Jesus deseja libertá-lo, agora só depende de você. “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. (João 8.36)

 

Título: Libertação – A guerra dos desejos
Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Site do Pastor
Data: 04/06/2021

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos Artigos

Fonte: Site do Pastor

ÚLTIMOS POSTS