Marília Mendonça relatou quebrantamento na pandemia e lembrou origens

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Uma entrevista de Marília Mendonça falando sobre sua mudança como pessoa após ter dado à luz, e compartilhando suas origens na igreja evangélica se tornou viral após o trágico acidente aéreo que ceifou sua vida e de outras três pessoas.

Marília Mendonça fez fama como “rainha da sofrência”, por suas letras que destacavam a dor em relacionamentos fracassados, narrados por mulheres que haviam se prestado a papéis de amante e prostituta.

Questionada pelo jornalista Léo Dias, do portal Metrópoles, se ela se via nessas condições, disse que não e acrescentou que se descobriu uma pessoa “moralista” após a gravidez, como se o sentimento conservador estivesse inato em sua essência.

“Nunca pensei que eu quisesse tanto criar família, nunca pensei que eu fosse ficar com tanto medo de criar um filho sem ser casada […] Acho que, enraizado, lá dentro de mim, existia uma coisa tradicionalzona que eu não queria deixar transparecer nunca”, disse a artista.

A gravidez, segundo ela, foi o catalisador do sentimento “moralista, tradicional, que eu nunca pensei que eu tivesse”, e em seguida acrescentou que sentiu “vergonha de não ter casado antes de ter um filho”.

A fé

Marília Mendonça contou na ocasião que sua jornada artística era cercada de cuidados, como amigos que a protegiam de aproximações interesseiras, e destacou a principal defesa contra esses contratempos: “Minha mãe é uma mulher de oração”.

Em outro trecho da entrevista, gravada em abril último, a cantora discorreu sobre ganância natural do ser humano e revelou que sua estratégia contra isso envolvia justamente a oração: “É essa hora que eu entro ali, no meu íntimo, ali… me aproximei muito de Deus nessa pandemia. Me reaproximei muito. Sou uma pessoa que fui criada dentro da igreja evangélica” .

“Minha mãe fez parte da Igreja Videira, é pentecostal, muito grande. Depois a gente foi para a Assembleia [de Deus], são tradições diferentes. Aprendi a cantar na Assembleia, usando playback, cantando Cassiane, Aline Barros. No momento que tinha flexibilizado um pouco a quarentena, eu cheguei a ir à igreja várias vezes com a minha mãe”, acrescentou.

Léo Dias demonstrou interesse pela faceta religiosa da artista, e questionou a importância da presença nos cultos: “Você sai renovada?”.

“Muito. Choro muito. Por que meu contato com Deus, quando eu busco – e eu abro meu coração para ouvir – Ele fala muito diretamente comigo. Mas é muito, é bem assim [gesticulou, enfatizando]. Sabe quando é para você, assim, diretamente, como se estivesse olhando no seu olho?”, respondeu.

Antes de encerrar, Marília Mendonça relembrou que recebeu uma mensagem de fé encorajadora em seu começo de carreira: “No meu primeiro show, me entregaram uma Bíblia. Eu tenho ela ainda. Meu primeiro show, lá em Itaituba, me entregaram uma Bíblia escrito ‘vai dar tudo certo, você está nervosa, vai dar tudo certo’. No meu primeiro show, entendeu? É muito bonito”.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

Espaço Gospel foi criado com a intenção de reunir o melhor de todo material disponível na rede para ajudar você a se conectar com Deus!