Missionário usa videogame para evangelizar e leva agnóstico para Jesus

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Lucas Swisher, um missionário, pastor e professor de inglês no Brasil, tem usado sua paixão por videogames para evangelizar e fazer discípulos para Jesus. Embora os jogos pareçam um método incomum, a ferramenta tem sido um meio para fortalecer a fé dos jogadores.

Os encontros começaram de maneira despretensiosa, segundo Lucas. Ele e alguns irmãos de sua igreja passaram a jogar online para aprenderem inglês e se entreterem juntos. “Muitas vezes, durante esses encontros, nosso tempo de videogame se transformou em um tempo com Deus”, disse Lucas ao site da Igreja do Nazareno nos EUA.

Quando sua família se mudou para uma cidade diferente, Lucas decidiu, de fato, encarar os jogos como uma plataforma de evangelismo. Seus alunos de inglês ficavam surpresos por poderem conversar abertamente com ele através dos games, mesmo sendo um pastor e missionário. 

Com o passar do tempo, essas conversas avançaram para tópicos mais profundos em torno de Deus e da Bíblia. “Aqueles que nunca viram esses jogos com uma forma de se conectar com Deus ou com a Bíblia ficaram intrigados, e eu também”, disse Lucas. 

Em pouco tempo, um grupo de sete pessoas — desde estudantes do ensino médio até profissionais experientes — passaram a ter encontros virtuais a cada 15 dias. Eles chamaram essas reuniões de “God and Gaming Time” (“Deus e Tempo de Jogo”). 

No começo, grande parte do tempo era dedicada aos jogos — reservando alguns minutos para estudo bíblico ou oração. Mas com o passar do tempo, as conversas sobre Deus passaram a se aprofundar.

“Então se tornou uma hora de videogame e três horas falando sobre Deus”, disse Lucas. “Se tornou um treino semanal e agora chegou a um ponto em que quase não jogamos. A maior parte do nosso tempo é falando sobre Deus e compartilhando uns com os outros, sendo responsáveis.” 

Mesmo com as limitações da pandemia de Covid-19, Lucas conseguiu continuar fazendo amizades por meio de videogames. Ele se conectou com pessoas de todo o mundo e começou a fazer o God and Gaming Time com mais 8 jogadores de quatro países diferentes. 

Agnóstico alcançado

O discipulado abriu o caminho para uma amizade com um jogador no Canadá, que deixou de ser agnóstico para seguir a Cristo. 

“Agora temos a oportunidade de caminhar juntos online”, disse Lucas. “Tem sido uma âncora nesta fase da minha vida em que estive tão isolado.”

Embora o God and Gaming Time seja um evangelismo construído a partir de um hobby, Lucas acredita que pode se tornar um futuro ministério, envolvendo mais pessoas no discipulado.

“Quando eu assisto ou jogo algo, além de servir como entretenimento, também tento usar isso como um meio para falar às pessoas sobre a vida, sobre Cristo, para me conectar com as pessoas. Isso lembra o jeito informal como Cristo construiu relacionamento com as pessoas”, ele afirma.



Guia me

ÚLTIMOS POSTS