Muçulmano golpeia irmão com facão após sua conversão ao Evangelho

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Os casos de perseguição religiosa por parte de extremistas muçulmanos contra cristãos vêm se intensificando nos últimos meses, e agora, um fiel foi golpeado na cabeça com um facão após entregar sua vida a Jesus.

O cristão Abudlawali Kijwalo foi atacado com um facão, recebendo um golpe na cabeça, de um irmão de sangue, que é muçulmano e não se conformou com a conversão dele ao Evangelho.

A família de Kijwalo é formada por devotados xeques e hajjis (peregrinos a Meca). No dia 27 de junho, ele estava pastoreando seu gado em Nankodo, distrito de Kibuku, quando seu irmão, Musoga Murishid, o confrontou a respeito de sua conversão.

Os membros da família já o haviam ameaçado para que não ouvisse música gospel ou afirmasse que Jesus Cristo era seu Senhor e Salvador. Kijwalo disse ao Morning Star News que estava ouvindo uma estação de rádio cristã naquele dia.

“Você ainda é muçulmano ou agora é cristão?”, questionou Murishid a Kijwalo, que respondeu “eu sou por Cristo”, segundo relatado pelo próprio fiel.

Assim que ouviu a resposta, Murishid mostrou que estava com um facão sob a roupa, puxou a arma e desferiu um golpe contra a cabeça de Kijwalo. O sangue jorrou imediatamente, e ele ficou gritando por socorro enquanto seu irmão deixava o local, acreditando que ele morreria rapidamente por conta da hemorragia.

Um ancião da aldeia que testemunhou o ataque chamou alguns profissionais de saúde e correu para socorrer o cristão. Eles o transportaram de motocicleta para um centro médico na cidade vizinha de Kasasira, onde um médico de plantão, com grande reputação na região, fez o atendimento.

O médico disse que Kijwalo vai sobreviver, mas precisa de descanso e mais tratamento. Kijwalo, que não tem dinheiro para despesas médicas e alimentação, refugiou-se em um local não revelado.

O ataque foi o mais recente de muitos casos de perseguição aos cristãos. A Constituição de Uganda e outras leis preveem a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a própria fé e converter de uma fé para outra. Os muçulmanos representam não mais do que 12% da população de Uganda, com altas concentrações nas áreas orientais do país.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS