Museu da Bíblia em Brasília não seguirá projeto de Oscar Niemeyer

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O futuro Museu da Bíblia em Brasília (DF) será construído a partir de um novo projeto arquitetônico, já que houve contestação por parte da Fundação Oscar Niemeyer sobre a autoria da proposta de 1987.

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (SECEC) lançou um novo concurso para escolher um estudo preliminar de arquitetura para a obra.

Inicialmente, o governo do Distrito Federal (GDF) informou que o Museu da Bíblia seria erguido a partir do projeto do arquiteto que projetou a capital nacional, mas a Fundação Oscar Niemeyer não reconheceu a autoria dos desenhos.

De acordo com informações do portal G1, a entidade – que é presidida pela neta do arquiteto, Ana Lucia Niemeyer – disse que “tem os direitos sobre todos os desenhos” de Oscar Niemeyer e classificou o projeto do Museu da Bíblia como “ações oportunistas de apropriação de sua imagem”.

Essa alegação, no entanto, foi rebatida pelo Instituto Oscar Niemeyer, que chegou a ser contratado pelo GDF para tocar a obra. O presidente do instituto, Paulo Sérgio Niemeyer, bisneto do arquiteto comunista, afirmou que o projeto é original e continha apenas adaptações.

“Foi feita uma interpretação da arquitetura como se fosse na antropologia. Pesquisamos o estudo até chegar à conclusão do que ele queria dizer com o projeto. O projeto é original”, declarou.

Novo projeto

O edital para o concurso do novo projeto do Museu da Bíblia foi publicado no Diário Oficial na última segunda-feira, 19 de julho. Os interessados poderão se inscrever até 03 de setembro, e o vencedor receberá um prêmio de R$ 122 mil.

A construção do Museu Nacional da Bíblia está orçada em R$ 26 milhões, sendo que R$ 14 milhões do total vêm das emendas parlamentares de deputados federais, e os outros R$ 12 milhões serão investidos pelo GDF.

Antes do atual imbróglio, ativistas ateus tentaram barrar a construção do edifício, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) derrubou as ações, refutando as alegações de quebra da laicidade do Estado.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS