‘Não podemos violentar a inocência das crianças’, diz Milton Ribeiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

O pastor Milton Ribeiro completou um ano à frente do Ministério da Educação (MEC) e afirmou que enquanto estiver à frente da pasta irá trabalhar contra a doutrinação de crianças pela ideologia de gênero através de livros didáticos.

A afirmação foi feita durante a cerimônia de lançamento da implementação do Novo Ensino Médio no país, realizada no auditório do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), na última quarta-feira, 14 de julho.

“Não vou permitir que em livros didáticos que a gente possa levar questões de gênero para crianças de 6 anos de idade, tudo tem o seu tempo certo, não podemos violentar a inocência das crianças”, afirmou Milton Ribeiro.

Em seguida, o ministro detalhou seu posicionamento: “Respeito as decisões dos adultos, mas discordo de falar para uma criança que ela pode ser menino ou menina aos 6 anos de idade, esse é um compromisso de valores que nosso governo tem e não vamos abrir mão”, reiterou.

“Temos 38 milhões de alunos na educação básica pública no país, alguns países não tem esse número de habitantes, tenho 54 mil escolas rurais que não tem eletricidade, 4 mil escolas sem água e 3 mil sem esgoto, mas só se pensa em internet e o que eu estava querendo dizer quando apoiei o veto [presidencial à internet nas escolas] é que temos de trabalhar com cautela, temos responsabilidade com recurso público”, dimensionou.

O ministro da Educação mais uma vez se mostrou favorável ao retorno das aulas presenciais e considerou ser um assunto urgente, para que os ganhos com o Novo Ensino Médio permita de fato melhorar os índices de avaliação da educação do país.

“Acredito nesse projeto e tenho certeza que será muito importante para os estudantes de todo o Brasil”, resumiu Ribeiro.

O novo Ensino Médio tem um cronograma de implantação definido por uma portaria publicada com os detalhes dos procedimentos que deverão ser cumpridos a partir de 2022, quando passa a ser obrigatório.

De acordo com informações do portal R7, a proposta tem como eixo a prática dos currículos escolares alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O secretário da Educação Básica do MEC, Mauro Rabelo, afirmou que o governo está prestando toda a assessoria necessária para que estados e municípios cumpram o que se espera no Novo Ensino Médio.

“O MEC tem ofertado apoio técnico e financeiro a todas as secretarias e ampliação da educação integral no país e nesta portaria foi lançado o cronograma de ações para o novo ensino médio, orienta as secretarias quanto aos procedimentos e prazos para implementação dos itinerários formativos, além da ampliação da carga horária, prazo de entrega para o PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) e formação dos profissionais da educação”, destacou Rabelo.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS