Pastor alerta pais sobre o que os filhos assistem na TV: ‘São como portais’

O novo filme “Red: Crescer é uma Fera”, produzido pela Pixar para a plataforma Disney Plus, tem gerado debates entre pais e líderes. 

A animação conta a história de uma menina de 13 anos que passa por uma fase de amadurecimento e, sempre que fica animada, começa magicamente a se transformar em um panda vermelho.

À primeira vista, o que parece um roteiro inocente, pode trazer impactos espirituais às crianças. É o que alerta o pastor Mike Signorelli, líder sênior da V1 Church em New York, nos Estados Unidos.

“Acredito que todo pai (não apenas um pastor, mas um pai) tem a obrigação de realmente filtrar o material”, disse Signorelli ao Faithwire da CBN. “Porque cada dispositivo eletrônico que você tem na sua casa é um portal — seja uma janela para as coisas de Deus ou, infelizmente, coisas que acredito serem demoníacas.”

O pastor é pai de uma criança pequena e colocou na TV o filme “Red” para entender melhor seu conteúdo. Logo nos primeiros 8 minutos, ele conta que ficou “chocado”. O desenho aborda a “comunicação com ancestrais”, o que vai totalmente contra a cosmovisão bíblica.

“Sabemos que em Hebreus 9:27 diz que o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo. É estritamente proibido, no contexto cristão, se comunicar com os mortos”, disse Signorelli. “Nos primeiros 8 minutos você tem cânticos, comunicação com ancestrais e uma bandeira vermelha deve disparar.”

O pastor disse que milhões de pais cristãos não sabem o que seus filhos estão assistindo e podem não perceber que o filme mostra práticas espirituais “que a fé cristã condena”.

Os pais precisam se atentar

O vídeo de alerta do pastor Signorelli no Facebook sobre o filme “Red” viralizou e soma mais de 170.000 visualizações. No entanto, ele lembra que sua intenção não era fazer um “meme cristão que está tentando cancelar a Disney”.

Pelo contrário, ele acredita que é essencial que os pais sejam instruídos e se atentem aos simbolismos dos filmes. Por exemplo, há cenas em torno da menstruação e a fala “Meu panda, minha escolha” (uma brincadeira com a fala pró-aborto “meu corpo, minha escolha”).

“Há um momento em que você pensa: ‘Eles foram longe demais’”, observa o pastor. “Agora, se você extrair o aspecto espiritual deste filme, apenas com base no conteúdo sobre menstruação e esse amadurecimento, não é apropriado para crianças.”

Signorelli também descreveu uma sequência de pesadelo no filme que achou perturbadora para as crianças. A cena mostra os ancestrais da menina sendo apresentados com “olhos vermelhos brilhantes” e atormentando a criança.

Perto do final do filme, há também uma cena de ritual que incomodou Signorelli. Tudo isso, segundo ele, deve fazer com que os cristãos parem e reflitam.

“Acho que o que acontece é que estamos tão insensíveis que, com o tempo, coisas que costumavam ser ofensivas para os cristãos, agora passamos a aceitar”, lamenta. 

Veja o vídeo da análise completa (em inglês): 

Guia me

ÚLTIMOS POSTS

Há momentos em que falar é violar o momento, quando o silêncio representa o maior respeito. A palavra para tais tempos é a reverência, e

Leia Mais »