Pastor é acusado de intolerância após gravar vídeo destruindo oferenda do candomblé

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A perseguição religiosa aos cristãos é uma realidade mundial e crescente, apesar de boa parte da grande mídia não noticiar nada a esse respeito. Mas, há também membros de outras religiões, como o candomblé, que alegam serem vítimas de intolerância por parte de alguns cristãos.

Um caso que veio à tona recentemente ilustra isso. Se trata de um vídeo onde o pastor da Igreja da Tenda dos Milagres, Gledson Lima, aparece destruindo as peças de uma oferenda do candomblé, religião de matriz africana, conhecida em alguns estados do Brasil também como xangó, catimbó ou “macumba”.

Na gravação, o pastor aparece dizendo que está quebrando as peças “em nome de Jesus”, como parte de uma “quebra de maldição”.  Para o líder da igreja situada no bairro Vila Cláudia, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, a destruição do material teria o aval do próprio Jesus.

“Receba a tua vitória, venha amanhã para o nosso culto, amém”, diz o pastor no final da gravação. Segundo informações do jornal O Dia, o pastor explicou que destruiu a oferenda do candomblé porque ela estaria localizada próprio à entrada de uma propriedade sua, um sítio, cerca de 500 metros.

Com a repercussão do episódio, o babalorixá Natan de Oxaguiã, do Ilê Àsé Babá Min Okan Fun Fun, registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) no último dia 10. Segundo o líder religioso da religião africana, a atitude do pastor termina incentivando outros atos de intolerância contra a sua religião.

“Os alimentos nos alguidares, as bebidas são oferecidos como presentes, em agradecimento à ancestralidade, portanto, são sagrados. A postura dele acaba por exercer influência diante de outros, que não conhecem a religião e não aprendem a respeitar”, disse ele, segundo o Extra.

Intolerância religiosa no Brasil

O artigo 208 do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de dezembro de 1940 diz que é crime “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”. Apesar disso, o vilipêndio ocorre de muitas formas no Brasil, inclusive contra os símbolos cristãos, que são retratados de forma desrespeitosa, por exemplo, em protestos políticos, desfiles de carnaval ou mesmo em programas de TV.

Todavia, o vilipêndio contra os símbolos cristãos parece não causar a mesma repercussão de quando se trata dos símbolos de religiões africanas. Em todo caso, a intolerância religiosa é uma realidade que afeta diferentes religiões, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Veja mais:

China ordena que hospitais matem bebês recém-nascidos de minorias religiosas



Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x