Pastor é preso por pregar na rua convidando pessoas a irem ao cultos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Polícia canadense usou a “força necessária” concedida pela Justiça para prender os pastores Artur e David Pawlowski enquanto pregavam na rua e convidavam pessoas a irem ao cultos. O primeiro ficou mundialmente famoso por, literalmente, enxotar oficiais do templo da igreja que dirige.

A acusação formal é de que ele e o filho teriam organizado uma reunião pessoal ilegal, incitado ou convidado outras pessoas a participarem de uma reunião ilegal, bem como promover e comparecer à reunião na cidade de Calgary, província de Alberta. Em outras palavras, comparecer ou dirigir cultos no Canadá se tornou crime.

Dois dias antes das prisões, os Serviços de Saúde de Alberta obtiveram uma ordem judicial exigindo que os organizadores do protesto obedecessem às restrições do COVID-19 da província: “As agências de aplicação da lei podem agir imediatamente sob esta liminar, sem a necessidade de atendimento dos Serviços de Saúde de Alberta”, disse a Polícia Montada Real Canadense de Alberta em um comunicado.

“Existem várias maneiras de fazer cumprir essa ordem, incluindo a capacidade de emitir multas, multas e acusações criminais para indivíduos que estão violando ordens de saúde pública ao organizar e/ou comparecer a esses eventos. Isso pode incluir a prisão e remoção de qualquer pessoa que tenha conhecimento desta Ordem e opte por agir em violação dela”, acrescentava o comunicado.

“Em caso de não cumprimento, a Ordem fornece poderes de execução, incluindo poderes de prisão, para aqueles que estão organizando, promovendo e participando de qualquer reunião pública onde as ordens de saúde pública não estão sendo seguidas”, disse a prefeitura de Calgary em uma nota oficial.

“Pedimos àqueles que estão pensando em organizar ou participar de qualquer evento ao ar livre que se certifiquem de que estão familiarizados com os requisitos de ordem de saúde pública e façam sua parte para prevenir a propagação do vírus”.

A polícia de Calgary, em um comunicado à imprensa, disse que os pregadores “reconheceram a liminar, mas optaram por ignorar os requisitos de distanciamento social, uso de máscaras e limites de capacidade reduzida para os participantes”, de acordo com a Fox News.

Como resultado, os dois – que dirigiram cultos durante a pandemia e não exigiram que os participantes usassem máscaras – foram presos.

Artur Pawlowski enfrentou a polícia no fim de semana da Páscoa, colocando os oficiais e policiais para fora da igreja: “Saia desta propriedade imediatamente até que você volte com um mandado. Eu não quero falar com você. Eu não me importo com o que você tem a dizer. Saiam desta propriedade, nazistas. Gestapo não é permitida aqui”, disse o pastor na ocasião.

A Polícia de Calgary divulgou nota após efetuar a prisão do pastor e seu filho: “É importante entender que a aplicação da lei reconhece o desejo das pessoas de participar de reuniões religiosas, bem como o direito de protestar. No entanto, como nos encontramos no meio de uma pandemia global [sic], todos devemos cumprir as ordens de saúde pública em a fim de garantir a segurança e o bem-estar de todos”, resumiu.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS