Paternidade é o centro de um documentário cristão que exalta a família

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um documentário cristão sobre a paternidade será lançado em setembro narrando histórias de pessoas que refletem aspectos da vontade de Deus para esse desafio humano.

Dirigido pelos irmãos Kendrick – responsáveis pelos filmes Corajosos (2011) e Quarto de Guerra (2015) – o documentário Show Me The Father (“Mostra-me o Pai”, em tradução livre) terá distribuição da Affirm Films, subsidiária da Sony Pictures.

O diretor Stephen Kendrick, e seu irmão, Alex, agendaram o lançamento para 10 de setembro nos Estados Unidos. A data de lançamento no Brasil ainda não foi definida.

Em entrevista recente, Stephen Kendrick contou que o filme é resultado de oração: “Deus disse: ‘Você precisa fazer este documentário sobre a paternidade’. Então, avançamos pela fé e fomos capazes de nos conectar com algumas das histórias mais legais e emocionantes sobre a paternidade. Pegamos algumas das verdades mais poderosas sobre a paternidade de Deus, juntamos tudo e oramos sobre isso”.

Para o cineasta, o propósito do filme é correlacionar a paternidade terrena com o fato de que Deus é a referência no assunto: “Queremos que as pessoas aprendam a se relacionar com Deus como o Pai perfeito que sempre desejaram e desejaram, mas nunca tiveram”, acrescentou.

Stephen Kendrick é pai de seis filhos, de acordo com informações do portal The Christian Post: “A paternidade de Deus foi o desígnio para Deus criar a paternidade na Terra. Todos os papéis que o pai deve desempenhar na Terra vêm dos papéis de Deus em nossas vidas”, comentou.

Experiências de paternidade

Em tempos de doutrinas progressistas na sociedade, como a defesa do aborto como um direito que se sobrepõe ao direito à vida, Kendrick destaca que a paternidade é “algo que está muito próximo de nossos corações”, sendo assim, intrínseca à natureza humana.

Ele também compartilhou uma experiência sobre seu avô: “Nosso pai cresceu com um pai alcoólatra de 2,10 metros. Durante seus anos de formação, ele se desconectou e não pôde dar a meu pai o apoio emocional, o incentivo, a proteção e a provisão de que ele precisava. E quando ele voltou para casa, ele estava embriagado”, relembrou.

Depois de ouvir o Evangelho e conhecer o Senhor ainda adolescente, o pai dos Kendricks foi capaz de perdoar seu próprio pai e confiar nas Escrituras e em outros homens piedosos para obter sabedoria enquanto criava seus próprios filhos.

“Eu não tropecei em meu pai olhando pornografia enquanto crescia. Tropecei com ele de joelhos em oração, clamando a Deus. Eu vi sua fidelidade à minha mãe por causa do que Jesus fez em sua vida. Eu o vi cumprindo suas promessas. Ele nunca mentiu para mim. Seu legado é o que transformou nossa família”, testemunhou o cineasta.

“Você está vendo famílias em uma vala. O desígnio de Deus desde o início sempre foi uma mãe e um pai, como duas asas em um avião equilibrando-se mutuamente, trabalhando juntas em uma casa para criar seus filhos. E Deus diz que Ele é um Pai; que Ele criou a paternidade na Terra para representá-lo”, concluiu Kendrick, sinalizando a mensagem que pretende transmitir.

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS