Paz com Deus, Paz de Deus e Paz com o Próximo

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Texto: Jo 14.27

Introdução
– Palavras que definem o mundo em que vivemos: Guerra, conflito, ódio, vazio, tumulto, turbulência, angústia, aflição, depressão, ansiedade, medo, estresse, inquietação, culpa, violência, suicídio.
– Diante desse quadro caótico precisamos de paz, em pelo menos três níveis.

I.) A Paz com Deus
– Tem a ver com um relacionamento certo com Deus.
– Andávamos mortos em delitos e pecados (Ef 2.1), ou seja, o nosso relacionamento com Deus não estava em ordem, em dia, em paz.
– O sacrifício de Cristo na cruz que nos possibilita a paz com Deus – Is 53.5; Ef 2.14-16; Cl 1.20
– A justiça de Deus foi satisfeita pelo sacrifício de Jesus.
– Quando nos apropriamos da obra de Cristo na cruz pela fé, passamos a ter paz com Deus (Rm 5.1), ou seja, o nosso relacionamento com Deus fica acertado, em ordem, em dia, em paz com Deus.

II.) A Paz de Deus
– Enquanto a paz com Deus tem a ver com um relacionamento certo com Deus, a paz de Deus é um sentimento de descanso em virtude desse relacionamento.
– A paz de Deus tem a ver com uma relação correta consigo mesmo.
– A paz com Deus é a raiz, e a paz de Deus é o fruto – Gl 5.22
– A paz de Deus é benção do Senhor para o seu povo (para aqueles que estão em paz com Deus) – Sl 29.11
– A paz de Deus é uma característica dos que amam a Palavra de Deus (Sl 119.165), dos que dão ouvidos aos mandamentos do Senhor (Is 48.18).
– A paz de Deus é para aquele cujo propósito é firme, e que confia no Senhor – Is 26.3
– A paz de Jesus não nos é dada como a paz que o mundo oferece: não depende das circunstâncias exteriores, não é passageira, efêmera; Ela expulsa a ansiedade e o medo – elucidar Jo 14.27
– A paz de Jesus não significa ausência de aflições, de guerras, de tempestades, de provações, mas é o senso da presença protetora do Senhor – Jo 16.33
– A paz de Deus é a sentinela que guarda a nossa mente e o nosso coração, a nossa razão e os nossos sentimentos – Fp 4.7
– A paz de Deus nos é concedida até mesmo para uma boa noite de descanso – Sl 4.8

III.) A Paz com o Próximo
– A paz com Deus e a paz de Deus se manifestarão na paz com as pessoas com as quais eu me relaciono.
– Devemos procurar a paz e nos empenharmos por alcançá-la – Sl 34.14
– Devemos fazer todo o possível que estiver ao nosso alcance para ter paz com todas as pessoas – Rm 12.18
– A paz de Cristo deve ser o árbitro em nossos corações pelo qual os nossos relacionamentos devem ser julgados – Cl 3.13-15.
– Estou em paz em relação a todos os meus relacionamentos interpessoais?
– Já pedi perdão pela parte que me cabe no processo de discórdia com alguém com quem o meu relacionamento foi quebrado?
– Estou com a minha consciência tranquila de que fiz tudo o que estava ao meu alcance para estar em paz com todas as pessoas com as quais me relaciono?
– Que a paz de Cristo seja o árbitro quanto às respostas a essas questões.
– Devemos seguir a paz com todos, juntamente com a santificação – Hb 12.14

Conclusão
– A verdadeira paz é mais que um sentimento; é uma pessoa. Jesus é a nossa paz.
– Ele é a fonte de conforto, segurança, cura, descanso, quietude, calma, tranquilidade, coragem, amor, sentido, propósito, razão de viver, perdão, vida!

Pr Ronaldo Guedes Beserra – SP, 18.07.2020.

Visite o Site do Pr Ronaldo em http://www.ronaldoguedesbeserra.com.br

Sobre Cristianismo Total

Cristianismo Total é um blog evangélico que tem como objetivo difundir a fé Cristã, que é a mensagem através da qual o Deus Eterno se revelou à humanidade.

Fonte: Cristianismo Total

ÚLTIMOS POSTS

0
Adoraria sua opinião, por favor, comente.x
()
x