Pregação leva assassino a confessar pecados e 1.500 pessoas a aceitar Jesus

Uma reunião de oração feita por líderes comunitários e membros da Igreja, impactou uma cidade que fica ao Oeste do Quênia. O evento durou três dias e tinha como objetivo pedir a intervenção de Deus na onda violência contra jovens e crianças. 

A resposta veio rapidamente, quando um homem de 29 anos se manifestou e decidiu confessar seus crimes, entre eles estupro e morte de seis jovens. Ele, inclusive, confessou que havia matado as meninas nas plantações de milho. 

O líder do ministério que organizou o evento explicou que o homem estava tão possuído por demônios que, enquanto oravam, “ele chorava e gemia de dor”. Os missionários pediram pela libertação e salvação daquele homem.

“Ele nasceu de novo”

A comoção ao ver o estado do assassino confesso atraiu mais pessoas para o local, incluindo algumas que estavam dispostas a linchá-lo e queimar seu corpo. 

“Chamamos a polícia, que o prendeu para interrogatório para encontrar outras pessoas envolvidas nos assassinatos”, disse o líder. 

O assassino foi acusado no tribunal, onde confessou não apenas os crimes, mas confessou a Cristo, dizendo que jamais mataria novamente. “Ele nasceu de novo”, continuou o organizador do evento. 

Nos meses seguintes, os ataques a jovens mulheres e crianças que aterrorizaram a cidade pararam. “Louvado seja o Senhor por sua salvação e também pela revelação de seus crimes. Ele foi exposto como deveria”, disse o líder sobre o criminoso. 

‘Igrejas são faróis’

O evento de oração mostrou o poder da Igreja através do ministério nativo, de promover cura e restauração para a cidade, conforme explicou o líder.

“Uma outra cidade, no oeste do Quênia, também experimentou uma reviravolta dramática quando os missionários locais pregaram o Evangelho”, destacou ainda.

“Estamos vendo jovens sendo salvos ao ouvirem a palavra de Deus. Além disso, começamos clubes esportivos para alcançá-los nas aldeias. Igrejas estão funcionando como faróis nesses lugares”, contou. 

“Até agora, mais de 600 jovens se envolveram nas equipes esportivas, além disso, os pontos de drogas foram fechados nas aldeias vizinhas”, disse ao revelar que um traficante voltou ao seu trabalho como mecânico de automóveis, influenciado pelo movimento de evangelização. 

O ministério distribuiu recentemente mais de 780 Bíblias em idiomas nativos, incluindo Bíblias Swahili para uma mãe chamada Rose, que começou a lê-las com sua família todas as noites na mesa de jantar.

Expansão do Reino de Deus

Os eventos evangelísticos recentes no Quênia já frutificaram bastante — 22 igrejas foram plantadas durante o período de seis meses. A liderança trabalha instruindo cada pastor de igreja doméstica a formar mais três líderes que iniciem igrejas em outras casas. 

“Durante esse tempo, 1.500 pessoas aceitaram a Cristo, apesar da intensa oposição em algumas áreas. Estamos recebendo testemunhos de salvação e crescimento de igrejas domésticas mesmo nos lugares mais hostis”, disse o líder. 

Além disso, há trabalhos voltados na área da saúde que incluem esforços para reduzir a mutilação genital feminina, uma prática cultural cruel e dolorosa. Muitas meninas foram mandadas para escolas para que recebam uma educação adequada. 

Porém, há grandes desafios para que todos esses projetos sejam realizados. “No nordeste do Quênia, onde forças islâmicas e grupos terroristas incendiaram algumas igrejas e casas de cristãos, transferimos duas famílias para outra cidade”, relatou. 

Segundo ele, há missionários que estão atuando em áreas perigosas e que correm risco por pregarem o Evangelho, por isso, ele pede orações por todos aqueles que estão envolvidos na obra de Deus no Quênia.

Guia me

ÚLTIMOS POSTS