Quase 700 mil crianças aceitam Jesus durante cruzada evangelística

Anunciar o evangelho de Jesus Cristo é o dever de todo cristão, e poucas coisas são tão gratificantes do que poder fazer isso para um público infantil. Missionários da Christ For All Nations, contudo, tiveram esse privilégio, tendo visto a conversão de quase 700 mil crianças.

“Cristo para todas as Nações” (Christ For All Nations – CfaN) é uma organização evangelística liderada por Daniel Kolenda. Ela faz cruzadas pelo mundo e uma delas foi realizada em Ruanda, na África, um dos países mais pobres do planeta.

O evento durou nove semanas e os resultados foram divinos, literalmente, pois 695 mil crianças entregaram suas vidas a Jesus Cristo durante a cruzada. Em um vídeo compartilhado nas redes sociais por um dos evangelistas, é possível ver a emocionante cena de milhares de crianças dizendo sim a Deus.

“Para mim, pessoalmente, meu momento favorito é quando vejo crianças levantando as mãos para receber Jesus como Senhor e Salvador”, disse Samuel Hörnle. Para alcançar o público infantil, a cruzada buscou se adaptar ao nível de compreensão das crianças.

Na região de Kigali, por exemplo, não foi diferente. Chamado de “Cruzadas Kids”, o evento levou a mensagem do evangelho a crianças cuja maioria vive em um contexto de violência, desconstrução familiar e abandono.

A consciência de que Jesus ama, cura e restaura, portanto, vai além da certeza da salvação eterna, pois implica em impactos sociais, psicológicos e espirituais imediatos na vida das crianças e suas famílias, algo fundamental na situação em que vivem.

“É um privilégio ver como uma geração inteira é transformada pelo Espírito Santo. Temos visto tantas crianças seguindo o chamado do Pai para voltar para casa”, explicou o missionário Samuel.

Para o evangelista da CfaN, ver “milhares de crianças estão proclamando e confessando Jesus como Senhor”, significa simplesmente um dos “maiores privilégios de nossos tempos”, segundo a Christian News Wire. Assista:

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

Há momentos em que falar é violar o momento, quando o silêncio representa o maior respeito. A palavra para tais tempos é a reverência, e

Leia Mais »