Satanistas matam jovem para saber se uma das integrantes era psicopata

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Uma moça, de 18 anos, foi assassinada em Goiânia por uma mulher que queria saber se era psicopata. O crime aconteceu no dia 24 de agosto, mas somente nesta quarta-feira (15/09), que ela foi presa. Além disso, outras duas pessoas também foram presas e alegaram ser satanistas. Para a polícia, a jovem foi escolhida de forma aleatória.

Ariane Bárbara Laureano de Oliveira havia dito à família que iria lanchar com amigas e desapareceu. O corpo da jovem, que tinha 18 anos, só foi encontrado seis dias depois em uma mata na cidade, em 30 de agosto, com sinais de facadas. O crime teria acontecido a mando de Raíssa Nunes Borges, de 19 anos.

Segundo as investigações, Raíssa queria matar uma pessoa para “saber se era ou não psicopata”. Ela queria saber qual seria a sua reação após matar a moça. Além disso, Enzo Jacomini, de 18 anos, e Jeferson Rodrigues, de 22, também participaram da morte de Ariane Bárbara. Uma delas teria sido a responsável por desacordar a vítima e a outra esfaqueá-la.

De acordo com a polícia, a mandante do crime não demonstrou nenhum arrependimento quando foi presa. Ela e os outros dois suspeitos foram denunciados por asfixiar, matar e depois ocultar o corpo da vítima em uma emboscada.

O delegado Marcos Gomes, responsável pelo caso, disse que a jovem estava em um carro quando mandou um áudio avisando a família que tinha ido lanchar com amigas. Após identificação do veículo, a polícia descobriu que ele foi usado para deixar o corpo da jovem em uma mata no Setor Jaó, ainda em Goiânia.

Os suspeitos disseram à Polícia Civil que mataram a jovem dentro do carro. Eles contaram que no momento da morte, tocariam uma música escolhida pelo grupo e um deles daria o sinal para iniciarem o crime.

Após o assassinato, Enzo e Jeferson se ajoelharam ao lado do corpo e ficaram no local por pelo menos 10 minutos. Em seguida, eles foram a um shopping lanchar. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de que a vítima tenha sido escolhida aleatoriamente. Nos próximos dias, o inquérito será concluído e encaminhado à Justiça.

Ariane Bárbara Laureano de Oliveira – Foto: Arquivo Pessoal

var loaded = false; var loadFB = function() { if (loaded) return; loaded = true; (function (d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v3.0"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk')); }; setTimeout(loadFB, 0); document.body.addEventListener('bimberLoadFbSdk', loadFB); })();

Portal do Trono

ÚLTIMOS POSTS

O Que Você Teria Feito?

Em fevereiro de 2015, o grupo terrorista ISIS decapitou 21 cristãos em uma praia na Líbia. A maioria deles eram trabalhadores migrantes egípcios que trabalhavam

Leia Mais »