Série: Romanos – O Evangelho

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um Estudo Sobre Romanos 1:1-3a

Introdução: O
século vinte e um trouxe mais confusão às mentes dos homens sobre o significado do
Cristianismo do que qualquer outro período da história da igreja. Hoje, mesmo
os termos e ensinamentos mais simples da fé não são compreendidos. Termos como
“salvo”, “sangue” e “inferno” são palavras
emocionais associadas a pessoas estreitas, sem educação, preconceituosas ou que
são pregadores de palanque. Embora seja verdade que alguns grupos tenham feito
mau uso desses termos, eles são palavras bíblicas perfeitamente boas e, quando
entendidas corretamente, têm um significado espiritual profundo.

Um dos termos mais mal compreendidos por aqueles fora de
Cristo, e mais mal usado por aqueles que são cristãos, é a palavra
“evangelho”. Esta mensagem concentrará nossa atenção nas palavras de
Paulo em Romanos 1:1, “o evangelho de Deus”.

O Ministério de Paulo
(Romanos 1:1a)

– Paulo. Fariseu
na religião judaica, Paulo confiava em suas boas obras para levá-lo ao céu. Ele
era tão sincero sobre sua religião que perseguiu e assassinou cristãos em nome
de Deus. Antes de se tornar cristão, Paulo estava cego pela religião, boas
obras e pecado. Ele era sincero, mas sinceramente errado. Quando o Senhor Jesus
apareceu a ele na estrada para Damasco, ele foi salvo. Quando ele conheceu
pessoalmente o Cristo vivo e ressurreto, toda a sua vida mudou.

– Servo de Jesus
Cristo.
Paulo, que havia sido um escravo do pecado, do egoísmo e da
religião, tornou-se um escravo de Jesus Cristo. Ele foi designado por Deus para
ser cristão e voluntariamente se entregou para ser um escravo de Jesus Cristo e
de Sua obra.

– A escravidão a Cristo traz liberdade progressiva do pecado
e do eu na vida cristã.

– Chamado para ser apóstolo.
Paulo foi soberanamente chamado por Deus para ser um apóstolo. Ele não escolheu
esta posição; Deus deu a ele.

– Separado para o
evangelho de Deus.
Paulo foi designado para este ministério especial
somente por Deus. Ele foi separado e comprometido com o evangelho e é por isso
que ele disse: “Pois, se anuncio o
evangelho, não tenho de que me gloriar, porque me é imposta essa obrigação; e
ai de mim, se não anunciar o evangelho!”
(1 Coríntios 9:16)!

Em certo sentido, todo cristão é chamado para o ministério
de proclamar o evangelho de Deus.

A Mensagem de Paulo (Romanos
1:1b-3a)

– O evangelho de
Deus.
“Evangelho” significa “boas novas” e tem sua
fonte em Deus; ele é seu originador e instigador. O evangelho é uma mensagem de
boas novas de Deus, e sempre continua a ser a mensagem de Deus de salvação para
os homens perdidos.

– A mensagem do
evangelho não é que o homem pode ser salvo por seus próprios atos e esforços.

Por natureza, todo ser humano é treinado para pensar em termos do sistema de
mérito. Nenhum cristão se opõe às boas obras, mas as boas obras nunca podem
tornar alguém um cristão. “não em virtude
de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia,
nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo”
(Tito
3:5). Todo cristão acredita em boas obras como resultado, não a causa, da
salvação.

– A razão pela qual os homens não podem fazer boas obras
para ganhar mérito diante de Deus é que eles são pecadores, separados de Deus.
O melhor de suas obras fica aquém do que Deus requer deles. “Pois todos pecaram e carecem da glória de
Deus”
(Romanos 3:23).

– Os homens são
pecadores por natureza e por ação.
Todos nós tendemos a nos comparar com as
outras pessoas e, geralmente, sentimos que somos tão bons quanto a maioria das
pessoas e melhores do que alguns. Mas como podemos nos comparar com a santidade
de Deus? Ele é absolutamente santo e justo. Se um homem cometeu um ato mau,
esse homem é colocado em uma categoria diferente da de Deus. O homem é um
pecador quando comparado à santidade de Deus. Porque Deus é santo, ele deve
julgar o pecado; se ele não julga o pecado, não pode ser Deus. Visto que os
homens são pecadores, eles aguardam o julgamento de Deus.

– O pecado é uma
atitude de indiferença para com Deus e é caracterizado por uma atitude de
rebelião ativa ou passiva.
Você observará que não estou dizendo que o
pecado é apenas uma questão de ficar bêbado, cometer assassinato ou ser imoral.
Esses são pecados também, mas resultam de pecados anteriores, que costumam ser
muito mais passivos. Você pode então perguntar: “Quais são os sintomas de
uma vida separada de Deus?” Além dos pecados mais grosseiros, existem:
preocupação, irritabilidade, falta de propósito na vida, nenhum objetivo,
nenhum poder, nenhum interesse real em viver, tédio absoluto, complexo de
inferioridade, frustração, desejo de escapar da realidade e medo de morte. Como
Paulo escreveu em Romanos 3:23, todos os homens pecaram.

– Os homens não salvos podem estar vivos fisicamente, mas
todos eles estão espiritualmente mortos antes de receberem a Cristo. “Porque o salário do pecado é a morte, mas o
dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor”
(Romanos
6:23).

– Retire o plugue de um abajur de sua tomada de parede; o
contato com a corrente elétrica é interrompido e a luz se apaga. O homem, por
causa do pecado, quebrou a comunhão com Deus. Ele precisa se conectar de volta
a Deus. Ele precisa de poder para viver para Deus.

– Todos os homens
enfrentarão um juízo eterno:

“E, como aos homens
está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”
(Hebreus 9:27).

“Pois do céu é
revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm
a verdade em injustiça”
(Romanos 1:18).

– Esta é uma má
notícia.
Se eu tivesse apenas isso para dizer às pessoas, saltaria de uma
ponte porque esta é uma imagem negra da verdadeira condição do homem. A menos
que haja uma maneira de resolver o problema do pecado, o homem está em uma
condição desesperançada e desamparada, indo de cabeça para uma eternidade sem
Deus!

– A boa notícia é o
evangelho:
Deus criou uma maneira de resolver o problema do pecado. Ele
enviou Cristo, Seu Filho perfeito e sem pecado, para morrer no lugar dos homens
pecadores. “Porque Deus amou o mundo de
tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê
não pereça, mas tenha a vida eterna”
(João 3:16).

– Cristo morreu pelos
pecadores.
“Mas Deus dá prova do seu
amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós”
(Romanos 5:8). Ao crer em Cristo, a pessoa pode receber o perdão dos
pecados, ser declarada justa diante de Deus e ter a vida eterna:

“Seja-vos pois
notório, varões, que por este se vos anuncia a remissão dos pecados. E de todas
as coisas de que não pudestes ser justificados pela lei de Moisés, por ele é
justificado todo o que crê”
(Atos 13:38-39).

“Em verdade, em
verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou,
tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida”

(João 5:24).

– Estas são as boas novas, e são tão verdadeiras hoje quanto
eram há dois mil anos.

– O que ele havia
prometido anteriormente por seus profetas.
O evangelho não é novo. Os fatos
básicos ou elementares do evangelho estavam no Antigo Testamento, mas não foram
revelados com clareza. Alguém colocou desta forma:

“O Novo está
oculto no Velho,

O Velho é revelado
pelo Novo.

O Novo está contido no
Velho,

O Velho é explicado
pelo Novo”

– A própria Bíblia
atesta repetidamente este fato:

“Pois se crêsseis
em Moisés, creríeis em mim; porque de mim ele escreveu. Mas, se não credes nos
escritos, como crereis nas minhas palavras?”
(João 5:46-47).

“como pela
revelação me foi manifestado o mistério, conforme acima em poucas palavras vos
escrevi, pelo que, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do
mistério de Cristo, o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos
dos homens, como se revelou agora no Espírito aos seus santos apóstolos e
profetas, a saber, que os gentios são co-herdeiros e membros do mesmo corpo e coparticipantes
da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho”
(Efésios 3:3-6).

“Desta salvação
inquiririam e indagaram diligentemente os profetas que profetizaram da graça
que para vós era destinada, indagando qual o tempo ou qual a ocasião que o
Espírito de Cristo que estava neles indicava, ao predizer os sofrimentos que a
Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi
revelado que não para si mesmos, mas para vós, eles ministravam estas coisas
que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do
céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos bem desejam
atentar”
(1 Pedro 1:10-12).

– Nas Santas
Escrituras.
Paulo colocou o fundamento de sua fé nas Escrituras do Antigo
Testamento. A Bíblia era sua autoridade para tudo. Se devemos entender
corretamente o Cristianismo e a salvação que é encontrada em Cristo, então
devemos saber o que a Bíblia ensina sobre o assunto:

“Ora, eu vos
lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no
qual perseverais, pelo qual também sois salvos, se é que o conservais tal como
vo-lo anunciei; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei
o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as
Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as
Escrituras”
(1 Coríntios 15:1-4).

– Acerca de seu Filho.
O evangelho se refere a Jesus Cristo. Tudo gira em torno do que Cristo fez
pelos homens. Se você quer saber como ser cristão, aprenda sobre a pessoa e a
obra de Cristo pelos homens caídos. Você deve então acreditar nesta mensagem e
receber a Cristo pessoalmente. “Mas, a
todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o poder de se
tornarem filhos de Deus”
(João 1:12).

Conclusão

Há muita confusão sobre como se tornar um cristão hoje.
Algumas pessoas dizem: “Eu sou muito ruim para me tornar um cristão”,
mas Cristo afirmou claramente que morreu por pessoas ímpias. Outros pensam que
precisam se limpar antes que Cristo os aceite. Não. Devemos vir como estamos –
como pecadores indignos – e ele nos limpará. Outros ainda pensam que tornar-se
cristão é abrir mão de algumas coisas. Certamente, tornar-se cristão é mudar
nossa atitude em relação ao pecado, mas não é desistir de nada; é receber a
pessoa de Jesus Cristo que pode dar a vida eterna e o perdão dos pecados.
Outros ainda dizem: “Se eu receber a Cristo, tirarei toda a diversão da
vida”. Nada poderia estar mais longe da verdade. Cristo só removerá
aquelas coisas de nossas vidas que atrapalham nossa experiência com ele.
Experimentar Cristo é muito mais gratificante do que os pecados “divertidos”
que ele remove de nossas vidas. Quando Cristo entra na vida, ele traz
estabilidade, propósito e novos horizontes de aventura.

Como você se torna um cristão? Reconheça que você está
separado de Deus por causa do pecado e creia que Cristo morreu em seu lugar e
pelos seus pecados. Convide-o para sua vida como Senhor e Salvador pessoal pela
fé e confie que o trabalho dele em seu favor, e somente o trabalho dele, é
suficiente para salvá-lo. “Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo”.
Nossos destinos eternos dependem do que fazemos com Cristo nesta vida!

Fonte: Esboçosermão

ÚLTIMOS POSTS