Soldado de Cristo: Vista as “sandálias da paz” e pregue o Evangelho com segurança

“Assim, mantenham-se firmes… tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz.” (Efésios 6.15)

Nos estudos anteriores aprendemos sobre o cinto da verdade e a couraça da justiça. Verdade e justificação. Neste estudo vamos aprender sobre as sandálias da paz.

Qual a utilidade das sandálias da paz?

Antigamente, o solado do calçado usado na guerra era feito de couro e cravejado para que se prendessem ao chão, dando estabilidade ao soldado.

Durante um combate, também era comum que o exército inimigo espalhasse objetos pontiagudos no campo de batalha, então sem um bom calçado não haveria a proteção dos pés.

As sandálias que faziam parte da armadura ofereciam uma grande vantagem àqueles que saíam devidamente preparados para a luta. Pouco adiantaria ao soldado romano estar cingido com o cinto de couro e vestido com a couraça de metal se estivesse com as sandálias inadequadas ou até mesmo descalço.

Sem segurança e sem estabilidade nos pés, faltaria a prontidão e a firmeza para correr e atacar. É disso o que trata as sandálias da paz citadas no texto de Efésios, elas simbolizam segurança e prontidão na hora de pregar as boas novas.

Imagine-se com os pés descalços numa região árida e cheia de pedras como a do Oriente Médio, por exemplo. Você até conseguiria se mover, mas a sua agilidade estaria comprometida. Além disso, sem as sandálias apropriadas, o peso das demais partes da armadura seria sentido com muito mais intensidade.

Como vestir as sandálias da paz?

A figura dos pés usada pelo apóstolo Paulo é bem sugestiva, já que através deles podemos ir até as pessoas e pregar o Evangelho. O profeta Isaías também fez uma menção semelhante.

“Como são belos nos montes os pés daqueles que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que trazem boas notícias, que proclamam salvação…” (Isaías 52.7)

Mas nem todas as pessoas caminham para o bem e se empenham em levar a paz para os outros. Veja o que Isaías disse mais à frente:

“Seus pés correm para o mal, ágeis em derramar sangue inocente. Seus pensamentos são maus; ruína e destruição marcam os seus caminhos. Não conhecem o caminho da paz; não há justiça em suas veredas. Eles as transformaram em caminhos tortuosos; quem andar por eles não conhecerá a paz.” (Isaías 59.7-8)

Aqueles que são do bem e caminham para pregar o Evangelho, precisam “cruzar desertos” ou “passar por terrenos montanhosos”. No literal, esse cenário pode ser real.

Sabemos que muitos missionários vão a lugares de difícil acesso, entram em pequenos vilarejos, lugares perigosos e aldeias esquecidas. Fazem muitos sacrifícios para proclamar o Evangelho a pessoas que nunca ouviram falar de Jesus.

Agora vamos entender o lado espiritual. Tanto esses missionários quanto as pessoas que pregam o Evangelho em locais confortáveis e sem grandes dificuldades, precisam calçar as sandálias da paz. O que isso significa?

Como calçar algo que não podemos ver?

Já vimos através deste estudo o significado de “cingir-se do cinto da verdade” e “vestir a couraça da justiça”. Falamos sobre verdade e justificação. Agora estamos falando de paz. Como alcançar a paz durante o seu caminhar? O que significa a “prontidão do Evangelho da paz”?

Prontidão — estar pronto para fazer algo. Boa vontade, presteza, agilidade.

Evangelho da paz — a “paz” do Evangelho é diferente da paz que o mundo prega. “Estar em paz” não significa se ausentar da guerra. Veja o que a Bíblia diz sobre essa paz:

“Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo.” (João 14.27)

“Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo. Pois ele é a nossa paz.” (Efésios 2.13-14)

“Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo.” (Romanos 14.17)

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.” (Filipenses 4.7)

Quem prega o Evangelho está levando essa paz da qual estamos estudando. A paz que prevalece e que vence o caos do mundo, que invade o nosso ser. Veja o que diz o livro de Tiago sobre isso:

“De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês? Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras.” (Tiago 4. 1-2)

“Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus.” (Tiago 4.4)

A Bíblia deixa claro que essa paz é alcançada através da “reconciliação com Deus”. Estar em paz com Deus nos faz viver em paz com as pessoas. Além disso, nos faz espalhar essa paz pelo mundo, através da semente do Evangelho.

“O próprio Senhor da paz lhes dê a paz em todo o tempo e de todas as formas. O Senhor seja com todos vocês.” (2 Tessalonicenses 3.16)

“Em favor de meus irmãos e amigos, direi: Paz seja com você!” (Salmos 122.8)

“Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz…” (Colossenses 3.15)

Como utilizar as sandálias da paz?

Durante o nosso caminhar devemos permanecer firmes no Evangelho de Cristo e, como já vimos, é possível estar firmes através das sandálias da paz. E isso quer dizer “estar em paz com Deus” e reconciliado com Ele.

É mais fácil caminhar por uma estrada quando sabemos o destino dela e quando conhecemos suas placas e seus avisos. E a Bíblia tem vários desses avisos para nós que somos peregrinos aqui. Veja um deles:

“Amados, insisto em que, como estrangeiros e peregrinos no mundo, vocês se abstenham dos desejos carnais que guerreiam contra a alma.” (1 Pedro 2.11)

Entendeu? Tenha “os pés calçados com a prontidão do Evangelho da paz”. Ou seja, esteja sempre pronto para levar essa paz às pessoas que ainda estão em guerra com Deus e que não compreenderam que a amizade com o mundo é inimizade com Ele.

Leve essa boa notícia que vai salvar essas pessoas. Ainda que seja uma verdadeira “luta” assumir essa missão, saiba que é necessário resgatar as almas das trevas. O Criador fez isso por nós:

“Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado, em quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados.” (Colossenses 1.13-14)

Jesus, descrito como o “sol nascente” veio “…para brilhar sobre aqueles que estão vivendo nas trevas e na sombra da morte, e guiar nossos pés no caminho da paz.” (Lucas 1.79)

E esse foi o estudo desta semana. Espero que tenha tirado a sua dúvida e também colaborado para o seu crescimento espiritual. Beijo no coração e até a próxima, se Deus quiser!

Por Cris Beloni, jornalista cristã, pesquisadora e escritora. Lidera o movimento Bíblia Investigada e ajuda as pessoas no entendimento bíblico, na organização de ideias e na ativação de seus dons. Trabalha com missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análise de textos bíblicos.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Soldado de Cristo: Aprenda a vestir a “couraça da justiça” para proteger seu coração



Guia me

ÚLTIMOS POSTS

Há momentos em que falar é violar o momento, quando o silêncio representa o maior respeito. A palavra para tais tempos é a reverência, e

Leia Mais »