Um tipo de amor totalmente diferente

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Texto: 1 Co 13.4-8

– Fonte das anotações abaixo: “Jesus, o homem mais sábio que já existiu” de Steven Scott.

– Equiparamos o amor aos sentimentos. No entanto, as emoções sobem e descem e são temporárias e imprevisíveis.
– Jesus apresentou ao mundo um tipo de amor totalmente diferente: não se baseia em sentimentos, não depende de nossa natureza mutável, não depende da pessoa que é objeto do nosso amor.
– É um amor mais estável, confiável e poderoso.
– Possibilita que você perdoe alguém que não merece seu perdão.
– É capaz de fazer com que você seja gentil e ajude pessoas que não gostam de você ou que até mesmo pessoas que te odeiam.
– Pode ser usado em qualquer lugar, em qualquer circunstância, com qualquer pessoa.
– Embora o amor ágape possa resultar em sentimentos, eles não são a sua fonte ou fundamento.
– Ele pode ser praticado mesmo quando não experimentamos qualquer emoção presente no amor convencional.
– Ele causa uma mudança em sua vida e na vida das pessoas com quem você interage que nenhuma outra postura é capaz de gerar.
– Ao praticá-lo, conseguiremos introduzir diferenças positivas inimagináveis na vida das pessoas, agregando valor a elas.
– Vai criar relacionamentos mais fortes, satisfatórios e seguros.
– Para entender melhor o ágape, precisamos compará-lo ao amor convencional.

– Eles provêm de duas FONTES diferentes.
– A fonte do amor convencional é o objeto daquele amor. Amamos a pessoa por ela ser quem é, pelo que faz ou por sua aparência física. Se ela tem uma personalidade atraente, nos trata bem ou é bonita, nós a consideramos amável e, portanto, a amamos. Problema: isso pode mudar quando o comportamento da pessoa muda.

– A fonte do ágape é o próprio Deus. Ele não nos ama porque fizemos algo para merecer aquele amor. Ele nos ama por ser quem é e não pelo que nós somos. O ágape não diminui com o tempo nem muda com as circunstâncias. Desafia firmemente o comportamento errado, mas trata com uma consideração extraordinária a pessoa que erra.

– Eles são EXPRESSOS de maneiras diferentes.
– O amor convencional costuma ser expresso por meio de nossas emoções e está diretamente ligado ao comportamento da pessoa e a como nos sentimos em relação a essa pessoa em determinado momento. É menos provável que expressemos nosso amor por alguém que está se comportando mal.

– O ágape é expresso por meio de ações concretas e não depende do comportamento da pessoa. O modelo é Jesus.

– O ágape sempre age em benefício dos outros, mesmo quando isso contraria o nosso interesse; cria honra, autoestima, confiança, compromisso e lealdade em qualquer relacionamento.

– Ninguém é capaz de impor esse amor aos outros, mas podemos nos tornar um agente do ágape em todos os lugares. Ele deveria ser a força que impele, motiva e guia nossa vida.

– Empregar as qualidades do ágape significa ser mais paciente e gentil; não agir de maneira arrogante ou vaidosa; não ser grosseiro, interesseiro e irascível; não ficar contabilizando as ações erradas dos outros; ser cuidadoso para evitar comportamentos equivocados.

– Esse tipo de amor contraria a natureza humana, que é extremamente egocêntrica e interesseira.

– Ler Lc 6.27-35.

– Tudo o que Jesus relaciona ao ágape envolve ações concretas. Esse amor não tem nada a ver com emoções ou sentimentos, e sim com fazer e dar. Por isso é tão poderoso, porque gera ações específicas e benéficas para os outros, mesmo quando eles nada fazem para merecê-las.

– Jesus supremo exemplo: na cruz, perdoa-os, perdoou o ladrão.
– Ler João 15.12,13.

– Aplicar a lista de 1 Co 13 a alguma pessoa específica.

Visite o Site do Pr Ronaldo em http://www.ronaldoguedesbeserra.com.br

Sobre Cristianismo Total

Cristianismo Total é um blog evangélico que tem como objetivo difundir a fé Cristã, que é a mensagem através da qual o Deus Eterno se revelou à humanidade.

Fonte: Cristianismo Total

ÚLTIMOS POSTS