UMA SÓ CARNE – Luciano Subirá

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A aliança matrimonial traz consigo uma poderosa força de ligação. Um dos seus efeitos é o de mistura de vida, o de tornar o casal uma só carne. Esta afirmação foi inicialmente feita por Deus em Gênesis e posteriormente citada pelo Senhor Jesus e também pelo apóstolo Paulo:

“Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”.
Gênesis 2.24

“Então, respondeu ele: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem”. Mateus 19.6

“Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne” Efésios 6.31

O homem deixa seu lar, seu lugar de criação, seus mais intensos relacionamentos para se unir à sua mulher. Isto significa que sua esposa passa a ser mais importante que qualquer outra pessoa, pois após o casamento passa a haver uma dimensão de união com sua esposa maior do que aquela que o homem provou com seus próprios pais.

Nas palavras de Thomas Adams: “Assim como pela criação Deus de um fez dois, pelo casamento, ele de dois fez um”.

Morte à vida egoísta e independente

O princípio de uma só carne significa morte à vida egoísta e independente. Ninguém deve casar para SER feliz; este é um mito acerca do casamento que tem sido perpetuado mesmo no meio evangélico. O princípio bíblico fala de casar para FAZER seu cônjuge feliz:

“Homem recém-casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá qualquer encargo; por um ano ficará livre em casa e promoverá felicidade à mulher que tomou”. Deuteronômio 24.5

Se cada um dos cônjuges procurar a felicidade do outro, ambos serão realizados; porém, se cada um tentar defender apenas sua própria felicidade e realização, o relacionamento se destruirá e só haverá decepção e tristeza. Portanto, ao entrar na aliança matrimonial, cada um deve estar ciente da necessidade de morrer para si mesmo e procurar agradar ao seu cônjuge. Quem procura a felicidade de seu marido ou esposa alcança sua própria felicidade; o apóstolo Paulo declarou aos efésios que “quem ama a esposa a si mesmo se ama”. Logo, é justo declarar que quem alegra seu cônjuge, a si mesmo se alegra.

“Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja” Efésios 5.28,29

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
Autor: Luciano P. Subirá. É o responsável pelo Orvalho.Com – um ministério de ensino bíblico ao Corpo de Cristo. Também é pastor da Comunidade Alcance em Curitiba/PR. Casado com Kelly, é pai de dois filhos: Israel e Lissa.



Fonte: Orvalho.com

ÚLTIMOS POSTS