“Você pode ficar sóbrio sem Cristo, mas nunca liberto sem Ele”

O testemunho de Jordan Wilson se confunde com o de muitas pessoas que já passaram por problemas parecidos aos seus. Hoje ex-viciado, a sua luta contra a dependência química durou 10 anos, e custou durante todo esse tempo cada dia de oração do seu pai, Roger.

Segundo o seu pai, Jordan cresceu num ambiente cristão. Ele frequentava a igreja e tinha um relacionamento com Cristo até parte da sua adolescência. “Eu chegava em casa cansado, mas tinha que ter meu tempo com Jesus”, disse ele.

Contudo, aos 16 anos, Jordan passou a namorar uma jovem de 19, e foi aí que a sua vida mudou radicalmente. “Em vez de ir à igreja, eu ficava na casa da minha namorada”, disse ele, lembrando que a curiosidade pelo estilo de vida mundano acabou lhe arrastando para as drogas.

Jordan passou a beber e a fumar maconha, influenciado pelas más companhias. “No começo eu adorava o estilo de vida de festa. Eu morava com uns amigos. A gente dava festas. Eu achava que eu era o Super-Homem. Eu achava que era invencível”, disse ele.

A dependência química de Jordan só piorou. Ele passou a usar metanfetamina e a gastar muito dinheiro para tentar sustentar o vício. “Eu tinha que tomar 20 comprimidos por dia”, disse ele.

Após ser demitido de um emprego por causa das drogas, Jordan passou a fabricar e a vender os entorpecentes, com o apoio das más amizades. Como resultado, o jovem foi parar na prisão, para desgosto do se pai, Roger.

“Eu estava no trabalho quando recebi uma ligação me informando que ele tinha sido preso”, disse o pai à CBN News. “Eu só me lembro de estar no hospital, me sentindo completamente impotente.”

Transformação

Mesmo conhecendo a Cristo, o agora ex-viciado passou cerca de três anos entre idas e vindas da prisão, bem como dos centros de reabilitação em drogas, dos quais foi expulso seis vezes por indisciplina.

O pai, Roger, contou que apesar do estado deplorável o filho, mantinha a sua fé em Cristo, na certeza de que Jordan poderia ser liberto das drogas. Para isso, ele orou constantemente.

“Eu sei o que pode acontecer. Mas eu sei o que Deus diz que Ele pode fazer. Eu estava ali orando por um milagre”, contou o pai. Em 2016, de fato, Deus agiu poderosamente em sua família.

Foi no domingo de Páscoa daquele ano que Jordan recebeu o convite do seu pai para ir ao culto. “Eu tinha 27 anos e não tinha presente de aniversário para meu pai. Pensei, isso é o mínimo que posso fazer. E então concordei em ir à igreja com meu pai no aniversário dele no domingo de Páscoa”, contou Jordan.

Ao final da cerimônia, quando o pastor fez um apelo para os que gostaria de se entregar a Cristo, Jordan, que já havia tido um relacionamento com o Senhor, não hesitou e saiu correndo em direção ao altar.

“Ele simplesmente desceu o corredor, desceu as escadas até o altar”, disse o pai. “Enquanto eu estava naquele altar, senti como se Deus estivesse me tirando do chão. Percebi que este era o Domingo da Ressurreição. Jesus Cristo ressuscitou!”, contou Jordan.

Ex-viciado reabilitado

O pai de Jordan disse que viu o filho renascer novamente, especialmente pelo tempo que se seguiu após o seu retorno para Cristo, pois Deus havia retirado dele a inclinação para as drogas.

“Eu nunca mais bebi outra gota, eu nunca mais usei droga desde aquele dia! Agora estou mais perto do Senhor do que nunca, mais do que quando era adolescente. Eu ando com Ele e falo com Ele todos os dias. Se eu não tiver esse tempo a sós com Jesus todos os dias, simplesmente não estou certo”, contou Jordan.

Atualmente Jordan é casado e possui dois filhos. Ele está recuperado da dependência química e virou diretor de uma clínica de reabilitação da qual já foi expulso. Questionado sobre o que diria para outras pessoas que enfrentam situações desse tipo, ele aconselha:

“Se você se render a Cristo, Ele vai lutar por você. Ele vai fazer o que você não consegue fazer. Como alguém que tentou sem Jesus, há uma grande diferença. Você pode ficar sóbrio sem Cristo, mas nunca será liberto sem Cristo. É Cristo quem liberta as pessoas.”

Gospel Mais

ÚLTIMOS POSTS

Há momentos em que falar é violar o momento, quando o silêncio representa o maior respeito. A palavra para tais tempos é a reverência, e

Leia Mais »